Tarrafal de Santiago: falta de meios condiciona o resgate dos corpos

3/06/2015 08:11 - Modificado em 3/06/2015 08:11

fundo do marEm reacção a tragédia que aconteceu na praia de Tarrafal de Santiago onde um professor e dois alunos perderam a vida no mar,  o vereador da Câmara Municipal diz que os agentes de protecção civil  precisam de melhores condições de trabalho. Isto por que o Município dispõe apenas de um “pequeno bombeiro” e não possuem meios necessários para uma busca neste tipo de situação.

Inácio Borges,   vereador da cultura,  desporto e  protecção civil, diz que os agentes da protecção civil do Município necessitam de melhores condições na prestação de socorros.

Borges afirma ainda que sempre que haja casos deste tipo, a Câmara recorre a associação de pescadores que possui um bote e também aos pescadores, que de forma voluntária participam das buscas. “O serviço de protecção civil nacional ainda não está equipado para este tipo de buscas”.

Inácio garante que esta situação se arrasta há muito tempo e que têm vindo procurar soluções junto do Governo para ver se conseguem os equipamentos mínimos para agir neste tipo de situação.

Adianta ainda que a tragédia aconteceu numa praia que não tem muita procura por parte das pessoas e é “meio isolada e sem cobertura da protecção civil”.

Perante este cenário, o vereador afirma que o Governo deve tomar providencias, e dotar o Município de Tarrafal de Santiago  com os  equipamentos necessários às operações de protecção.

  1. J.B.P

    A Camra ja deu a sus desculpazinha. Uma autentica vergonha e trapalhada.

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2017: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.