Oficialização do Crioulo

3/06/2015 00:05 - Modificado em 2/06/2015 21:12

caboverdebandeiraUm tema que tem consumido muita tinta nos dias de hoje é certamente a Oficialização da língua Crioula. Dizem alguns estudiosos, embora sem apontarem vantagens convincentes, que é uma boa aposta. Eu tenho as minhas dúvidas. Ora vejamos:

Num país onde os recursos não abundam, há sempre alguém que tem ideias, digamos de “génio”. É que, a oficialização do crioulo tem os seus custos e não são poucos. Mas isso, já lá vamos.

Estava eu então a dizer que, de facto é um atentado ao bom senso, no meu ponto de vista, que possa haver vantagens relativamente a oficialização do Crioulo.

Imbuído por alguns iletrados que se dizem pensadores, esta ideia ganhou forma, de modo que, nos dias que correm já ninguém passa sem referir no assunto.

Questões pertinentes devem ser colocadas. Porquê? Com que intenção? Qual o objectivo dessa oficialização? Entre tantas outras. A meu ver, as desvantagens são seguramente muitas mais do que as vantagens, essas últimas se existirem. Eu não as vejo. No entanto estou susceptível a dar o braço à torcer se alguém me as apresentar.

Ainda há dias, ouvi por ai algures, que já no próximo ano lectivo haverá uma disciplina do crioulo no ensino secundário. Ora, devo questionar, se me é permitido, como é que um professor da ilha de Santiago portanto, com domínio do Crioulo de Sotavento, vai ensinar o Crioulo a um aluno de S. Vicente. Ou ainda, como um professor de St. Antão irá ensinar a língua crioula a um aluno do Fogo e vice-versa. É que, Cabo Verde é um país onde os professores costumam andar em todos os lados, em todos os cantos das ilhas. É assim sendo, frequente essa mobilidade.

Há quem diga que o insucesso escolar deve-se ao facto de sermos ensinados em língua estrangeira. Será que no dia em que passarmos a ser ensinados em crioulo seremos os melhores alunos do mundo?

Outra coisa interessante e que deve ser exaltado é que, um país ligado cada vez mais, ao turismo não seria melhor e mais rentável um investimento cabal nas línguas estrangeiras, tais como, o Inglês, o Francês ou até mesmo o Espanhol?

Os jovens certamente ganhariam muito mais pois, com o domínio de uma ou outra língua, poderiam mais facilmente driblar o problema do desemprego. Problema esse que assola a nossa sociedade e que cresce dia após dia, visível ao olho nu.

Para os que pretendem emigrar, não seria melhor levar consigo algumas noções da língua do país em que pretendem viver?

Uma outra questão curiosa, é também saber quanto custaria a oficialização do Crioulo. Enfim, muitas perguntas devem ser colocadas na esperança de que alguém menos leigo do que eu as responda.

Há seguramente penso eu, coisas mais importantes em Cabo Verde que devem sair das gavetas, do que andarmos em discussões fúteis em torno da oficialização do crioulo. Na verdade, enquanto andamos entretidos nas ditas polémicas os erros de português abundam e a iliteracia ganha novos amigos.

Eu gosto do crioulo, devo confessar. É a minha língua materna. Porém, pouco mais me dá para além de uma boa conversa com a minha avó ou ainda com os meus “brothers” numa esquina do nosso bairro.

Insistir nesta ideia, seria certamente andar caminho ao contrário. Seria renegar um universo com milhões de falantes, como é o caso do Português, ideal para o multiculturalismo, para o negócio e para a educação!

Nilton Sousa

Relações Públicas e Secretariado

Email: niltonsousa@hotmail.com

 

  1. Mario Matos

    “Manuel Veiga lembrou que a língua crioula é utilizada nas escolas, é ensinada na Universidade de Cabo Verde, já há romances, livros de poesias, mas também dissertações em e sobre o crioulo.”
    Tive o privilegio de ter tido um pai que estudou no antigo Liceu Gil Eanes onde professores com nível falavam a língua de Camões sem nenhum complexo. Com ele aprendi na verdade o portugues e nao o “pretogues”.
    Frequentei felizmente apenas por dois anos uma destas pseudo universidades em Cabo Verde e notei que muitos dos professores preferiam falar em crioulo do que em portugues, uma forma de camuflarem o seu desconhecimento da língua portuguesa.
    Mais caricato é que tinha um ou outro “professor” que durante as nossas conversas, nas quais eu consequentemente falava o portugues, ficava totalmente desnorteado e titubeando. Felizmente que o meu pai tinha conexões, melhor dizendo “cunhas” a nivel governamental, consegui uma bolsa em Portugal onde com muito prazer e fora da escola falo o crioulo e na escola como ferramenta de trabalho falo o portugues.
    Tenho pena dos meus antigos colegas que ficaram em Cabo Verde pois com a “língua amada” que muitos professores procuram impingi-los, já que eles nao dominam o portugues correcto, muitos deles dificilmente conseguirão safar nas Universidades de renome em Portugal ou Brasil, quanto mais nos outros países da Europa.
    ———————-
    [N.B. Tem lugar esta terça-feira, 19, na Praia e no Mindelo, o teste internacional de proficiência da língua portuguesa conhecido pela sua sigla CELPE-BRAS. Sem ele nenhum estudante estrangeiro pode fazer a sua formação superior no Brasil.

    A partir deste ano, nenhum aluno cabo-verdiano poderá candidatar-se ao ensino superior, no Brasil, sem o certificado do Celpe-Bras. Se não passar no exame, não pode candidatar-se, mesmo que tenha nota escolar”, esclarece a coordenadora do Celpe-Bras em Cabo Verde, Marilene Pereira. “Este é mais um dos elementos para formar o dossier da candidatura para o ensino superior no Brasil”.]

  2. N. L.

    O que vão conseguir com a oficialização do crioulo serà:

    1. Mais isolação das ilhas e dos caboverdeanos
    2. Mais ignorância no paìs
    3. Conflictos pois que crioulo (de qual ilha) serà oficializado?
    4. Menos oportunidades para os caboverdeanos.
    5. Ao fim da caminhada vamos nos tornar mais pobres pois vai custar muito.

    Conclusão: Que estas pessoas que estão a investir tanto tempo e energia nesta ideia absurda que investem esse tempo e energia na resolução nos problemas mais graves do paìs:

  3. Joaquim ALMEIDA

    Ofiicializaçao do Crioulo ; Como eu jà disse vàrias vezes e nao me canso de repetir , isto é ; oficializaçao desta ( lingua ) nao passa de ” MAQUIAVELICE ” !..Qual foi a lingua que falàmos desde 1460 , sem ser oficializada e que tenha dificultado o nosso pais de desenvolver ?!.O oficilizaçao desta ( lingua ) so vai provocar a lei do menor esforço na mente desta nova geraçao do nosso pais e clàro està um atrazo na nossa vida social economica e intelectual !..Um Criol na Frânça ;Morgadinho !..

  4. marta

    Concordo com o Sr Nilton em todos os aspectos. Sou contra a oficialização do Crioulo porque penso que não vamos utiliza-la numa reunião com um Português, um Francês ou nem mesmo com um cidadão Norte Americano e entre outras situações,visto que em primeiro lugar temos varias variantes em que escolheram a variante da ilha de Santiago, Sou natural de São Vicente então depois da oficialização do crioulo terei de conversar com o meu filho na variante da ilha de Santiago? Que confusão estão a inventar?

  5. toy

    Boa Nilton eles querem impingir aos cabovedeanos das outras ilhas o crioulo do badio

  6. Avelino R. Pina

    Plenamente de acordo. Excelente reflexão que merece uma análise cuidada sobretudo por parte de alguns teimosos que insistem na matéria, com interesses puramente pessoais e/ou de grupos. Não cansaremos de afirmar e de reafirmar que, para além de não haver condições para a efectivação da questão, ela não é prioritária e nem nos leva a lugar algum. As desvantagens são enormes e em todos os sentidos. Pior ainda a sua introdução no ensino. Procurem indagar para saberem quem são os professores que foram colocados nas escolas de Ponta d’ Água e de Flamengos para leccionarem a língua materna que, apesar de muito amada e acarinhada por todos os cabo-verdianos, apenas serve a nós mesmos e nas suas 9 (nove) variantes (assim como está). Ninguém está no direito de destruir aquilo que construímos durante várias centenas de anos. Precisaríamos sim de nos aperfeiçoarmos cada vez mais na Língua Portuguesa que, bem estruturada e consolidada, também faz parte da nossa história e da nossa cultura e nos insere nos 4 (quatro) cantos do mundo. Valeu, ilustre autor. Estaremos atentos e sempre do seu lado.

  7. Mindelo

    Sim sr bom artigo. Parabéns continua sp assim. bj

  8. roxana aguilera cald

    tiene q ser !!! esta presente en este pais e significado tiene ,como historia precedente ,q sea poca la poblacion falante NAO es causa para nao oficializarlo .Parabens !! El crioll es HISTORIA de esta NAÇAO !!!!!!!!!!!!!!!!!!

  9. Observador

    Creio que o crioulo já é oficial portanto, ele não precisa de mais oficialização pois esta enraizado em nós. Insistir nesta ideia é perda de tempo e dinheiro

  10. Pico Pico

    Criolo ca ta lebano a lado ninhum…..nhos dexa de bacandesa nhos poi mininus prende portugues, ingles, frances, alemão……bu ta atcha criolo ta fala um portugues que ta da alguem vergonha.

  11. Eilline Morais

    Concordo com o teu ponto de vista,não vejo vantagem nenhuma, pelo contrário, acho que estaremos andando para trás caso isso venha a aconteecer…
    Meus parabéns, é sempre bom termos os nossos jovens atentos e dando o seu ponto de vista sobre temas dessa categoria.

  12. Nhock

    Bem dito ilustre. Na verdade o crioulo como está já é de bom tamanho. Portanto, nada mais deve ser feito. Abraço

  13. Jovem atento

    Um bom artigo, simples de fácil compreensão. O crioulo é a nossa língua materna é verdade no entanto, penso eu que não deve ser oficializado pois há muitos variantes no país.

  14. Djonny

    Há coisa mais importantes e mais interessantes do que a oficialização do crioulo. A meu ver deve-se dar prioridade a coisas mais relevantes do que essa tal oficialização.

  15. Tito Amado Amarante

    Bravo, muito bom, eu sou contra, pois não tem lógica a sua implimentação.

  16. Boss

    Grande artigo Sr. Nilton, bem visto. Um tema pertinente que merece uma analise serio. Não basta chegar e dizer que o crioulo deve ser oficializado. Pelo contrario não há necessita dessa oficialização

  17. Extremo

    Insistir nesta ideia, seria certamente andar caminho ao contrário. Não tenho a mínima dúvida.

  18. Educador

    Será que no dia em que passarmos a ser ensinados em crioulo seremos os melhores alunos do mundo? Boa questão, ganhem juízo srs. governantes

  19. Ema Rodrigues

    Como querem fazer oficializando o ensino no crioulo vão para uma catàstrofe.
    A coisa vai tão mal que muitos alunos do Segundàrio não sabem conjugar o
    verbo “haver”. Um exemplo: dizem “adias” para “hà dias”, etc.
    Muito grave !!! Hà que rever a gramàtica da 4a Classe depressa

  20. estupefacta

    un t spantod k tamanha ingnorancia, anton alguns de bsot cre dze k crioulo e sinonimo de pobreza e ignorancia, defende k ao pode ser ixnod na escola ingles frances portugues…. Anton porque k ne portugal te inxnod portugues mesmo sendo lingua materna #cambadade
    preconceituosos , antes de bsot fala bsot tma un aula de crioulo bsot descubri kel e um linga estruturod k regras moda un qualker ot
    Ps: e bsot ba prende fala crioulo primer

  21. Julio Goto

    Informacacao:
    Alguem ja tinnha expressado que o Alupec e uma Arma Letal Unificada par Extincao do Criol (das outras ilha).
    Num debate no dia da LINGUA materna (fardado de BADIU) o Manuel Veiga confirmou isso. O plano e comessar com a morte lenta dos variantes do Maio Brava e Fogo usando o Badiu.
    A morte lenta dos variantes de S.Antao ,Sal Boavista e S.Nicolau com a variante de S.Vicente.
    A missa enterro e a missa seria CACAREJADO no Badiu de S.Tiago

  22. Julio Goto

    Informacacao:
    Alguem ja tinha expressado que o Alupec e uma Arma Letal Unificada par Extincao do Criol (das outras ilha).
    Num debate no dia da LINGUA materna (fardado de BADIU) o Manuel Veiga confirmou isso. O plano e comessar com a morte lenta dos variantes do Maio Brava e Fogo usando o Badiu.
    A morte lenta dos variantes de S.Antao ,Sal Boavista e S.Nicolau usando a variante de S.Vicente.
    O enterro e a missa seria CACAREJADO no Badiu de S.Tiago

  23. D. Leite

    O grande mal da mídia cabo-verdiana foi ter permitido os dois víruses, o Marsianus Alupeka e o Dr. Azágua infectarem as conciências dos nossos jovens sobre o criolo. Deixei de ler os jornais porque a fotogafia desses dois bufos apareciam logo na primeira página com a escrita que nada entendo e quem quero saber.

  24. D. Leite

    O grande mal da mídia cabo-verdiana foi ter permitido os dois víruses, o Marsianus Alupeka e o Dr. Azágua infectarem as conciências dos nossos jovens sobre o criolo. Deixei de ler os jornais porque a fotogafia desses dois bufos apareciam logo na primeira página com a escrita que nada entendo e que nem quero saber.

  25. adilson

    Não vejo nenhuma vantagem na oficialização do crioulo. Deveriam introduzir a lingua francesa e inglesa no ensino básico integrado e o alemão e o espanhol no ensino secundário, isso sim só trazia vantagens para os cabo-verdianos, abrindo novos horizontes e oportunidades. De certeza essa teimosia por parte de algumas pessoas é simplesmente por beneficios próprios ou de grupo. VAMOS DIZER NÃO A OFICIALIZAÇÃO DO CRIOULO. Vamos lutar…

  26. Mindelense

    Acho sinceramente que a oficialização do crioulo é desnecessário. O crioulo não nos leva a lado nenhum de modo que devemos concentrar em coisas mais importantes

  27. Visão

    O crioulo é uma língua com diversas variantes por isso essa ideia não faz sentido!!!

  28. tony silva

    oficializar a lingua criolo e atrazar desenvolvmento para o povo, sobre lingua portuguesas
    que sao mais falado no mundo, e a lingua criolo e da origem portuguesa e negros,mais vale ficamos com a lingua portuguesa do com a lingua criolo, porque nao ultrapassamos as fronteiras e atrasamos mais e melhor seguir a cultura europeu avancaremos melhor.

  29. Em vez de nos preocupar no aperfeiçoamento da lingua Portuguesa nas escolas, estamos a dificultar ainda mais as nossas crianças com a Oficialização do crioulo. Isso seria pôr a carroça à frente dos bois e matar por completo o nosso sistema educativo.

  30. José

    Sr. Tocha Sousa continua nesta senda de trazer informações relevantes a sociedade. Estás no bom caminho. Grd abraço

  31. Ema Rodrigues

    Sra. Estupefacta:
    Ensinar o crioulo até é bom. Mas ensinar “em crioulo” é que deixa realmante estupecta a maior parte de gente que pensa. Não hà professores, nem compêndios, nem livros técnicos, nem dicionàrios, etc. Por outro lado, estudar outro crioulo… qual? como? e para que resultado quando se quer – depressa – lingua produtiva para a vida?
    Um pouco de senso seria melhor.

  32. soares

    Bom artigo mt bem escrito abraço.

  33. Clara Martins

    Bem visto Sr. Tocha Sousa, um bom artigo muito esclarecedor. Continua.

  34. Nilton Sousa

    Obrigado a todos pelos comentários! Bjs e abraços

  35. Francisco Lima

    Não brinquem com a herança que nos foi dada: o(s) nosso(s) crioulo(s).
    O cabo-verdeano conseguiu, atravez de séculos, ultrapassar vexâmes e tudo mais quando quiseram que não falasse sua(s) lingua(s). Eles eram a Nação Portuguesa e os seus caciques e agora aparece-nos um dos nossos a querer mandar tudo àgua abaixo. Não !!! Não pode ser. O desejo de muitos vale mais que uma brincadeira.

  36. antao delgado

    Concordo com as outras pessoas esta boa ideia de nao oficializar o crioulo, sabendo q este e um absurdo desde q cao verde e constituido por ilhas q falem diferente dialete ora bem e uma falta de visao ideologica e a inespriencia mental para fazer um pura afundamentoa lingua portuguesa , mas e logica q em cabo verde ha alguns deputados da nacao q nem portugues sabem falar isto e uma pura fragilidade dos nossos governantes quem e das ilhas de barlavento q vao emplantar a lingua do badiu so

  37. Niva

    não vejo futuro com a oficialização da língua crioula, somos um país separado por dez ilhas em que o barlavento tem uma grande influência dos são-vicentinos e o sotavento, a influência do Santiago “badio”. Espero que o Português, continua na liderança como língua oficial pq, o crioulo não vai nos levar para nenhum lado, visto que só a Guiné-Bissau é que tem um crioulo muito semelhante ao nosso, porque fomos nós que levamos a nossa língua para a Guiné. E ninguém vai querer falar badio nem pensar

  38. Bô fã

    Apoiado Mister’s N.L , Mario Matos e Joaquim Almeida.
    Fock Oficialização do Crioulo. #FicaDika pe es policticos corruptos e faze nos d bacanal tud hora e k nó te paga nos dinheiro pe es pagas sex ingnorancia e burrice

  39. Aniete Bettencourt

    Bom artigo de fácil compreensão. Gostei do que li e acredito sinceramente que a melhor opção é investir no português, bem como, nas outras línguas estrangeiras. Att.

  40. TCruz

    Li atentamente o teu artigo sr. nilton e devo manifestar o meu total acordo. É verdade que o crioulo é a nossa língua materna, todos nós falamos crioulo. Não há necessidade dessa oficialização!

  41. TCruz

    Li atentamente o teu artigo sr. nilton e devo manifestar o meu total acordo. É verdade que o crioulo é a nossa língua materna, todos nós falamos crioulo logo não vale a pena fazer nada mais!

  42. Djonny

    Concordo em partes com o artigo no entanto acho que devemos valorizar a nossa língua!

  43. Leitor

    A cultura de um povo é a sua língua a sua musica, as suas tradições etc, neste caso o crioulo é de todos e para todos os cabo-verdianos . Acho que independentemente dessa oficialização o crioulo já esta em nós. Não é necessário gastar dinheiro nisso porque há de servir para outras coisas mais importantes certamente!!!

  44. Hermes M. baptista

    Boa visão do nilton que trousse um artigo pertinente e que nos dias de hoje tá a dar que falar! Sou também contra essa oficialização mesmo gostando de falar o meu crioulo

  45. Gomes de Pina

    Há seguramente penso eu, coisas mais importantes em Cabo Verde que devem sair das gavetas, do que andarmos em discussões fúteis em torno da oficialização do crioulo sem dúvida.

  46. Nelida Graça

    Estou de acordo com o Sr nilton. É mas vantagioso pra nos os cabo-verdianos se deixarmos essa ideia de lado e focalizamos no Português e nas outras linguas

  47. BOSS AC

    Em Cabo Verde ainda continuamos na lógica ” eu posso, eu faço e a opinião pública que se dane.

  48. Como diz e bem o nosso escritor Germano Almeida. “Com o crioulo não saimos das ilhas”. Se me fosse dado a escolher, proibiria o ensino do criolo aos meus filhos. CRIOLO PARA QUE? Aonde eles irão com isso? Já é uma tristeza o português dos nossos universitários. Imagina com a introdução do ensino do crioulo. Não baralhem a cabeça dos nossos filhos desnecessariamente por favor!!!!!

  49. The Oficial

    Qual crioulo? Deviam preocupar-se com o aprendizado da Língua Portuguesa visto que muitos entram na universidade sem falar e/ou escrever bem o Português.

  50. Valdir Lopes

    Neste momento sinto o crioulo como uma língua livre. Não vejo necessidade de dar um outro passo pois parece-me que seria no sentido inverso; ficaríamos condicionados e entendo que perderia todo o seu encanto.

  51. Batcha

    Crioulo Sim, oficialização Não!!!

  52. Consumidor Atento

    Não podemos andar caminho ao contrario, não vejo motivos para oficializarmos o crioulo portanto, estou de acordo com o exposto.

  53. Amado

    Algumas perguntas foram colocadas neste texto e acredito que haverá muitas mais a serem postas. Temos de nos concentrar em coisas mais importantes para o país como é o caso do desemprego, da segurança entre outros…..

  54. Veterano

    Epá, andamos tramados com certos pensadores em C. Verde. O crioulo é a nossa língua materna devemos valoriza-la no entanto chegar ao ponto de pensar oficializar já é demais.

  55. Carla Barbosa

    A introdução do crioulo vai causar danos irreparáveis. Tempo perdido, dinheiro perdido, vantagens nenhumas. Isso não é mais do que um birra.

  56. Graça

    Qual crioulo? Deviam preocupar-se com o aprendizado da Língua Portuguesa visto que muitos entram na universidade sem falar e/ou escrever bem o Português.

  57. Ana nascimento

    Parabéns Amigo! Adorei a missiva e concordo plenamente contigo e com as ideias nela contidas. De facto, o crioulo pertence às minhas raízes, não da forma como pertence às tuas, mas é certo que o interiorizo! Deve manter-se extaamente como está, como “característica” que individualiza um povo, uma cultura, um valor! Beijinho grande Nilton. Boa sorte e muitas felicidades!

  58. João Malpartida

    Bom Artigo, gostei e concordo plenamente.

  59. Ailine

    Essa ideia de oficialização é um disparate. Deixe o crioulo com esta.

  60. Silva Costa

    Palavra de apreço ao Nilton k tem trazido temas pertinentes mt interessantes.

  61. zenaida

    Um tava gosta de sabe kem k es é ktem mania de pensa que oficialização do crioulo te traze vantagens. Bando de iletrados mesmo!

  62. Matos

    O crioulo nem deveria dar discussão, é só deixar como está e pronto!

  63. Opinião Sensata

    Excelente artigo, Nilton Sousa! Mas cuidado; cá por estas bandas não sei se é inteiramente permitido criticar-se , mesmo que de forma irónica e civilizada, os sábios e iluminados que novamente nos querem conduzir à ruína!

  64. Sonia Teixeira

    um bom artigo que deve ser lido por todos aqueles que são apologistas pela oficialização do crioulo. Ao menos, eles iam interrogar também. O crioulo não nos leva a lado nenhum.

  65. Sensato

    Com o crioulo não saímos das ilhas já dizia o outro!!!!

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2017: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.