De onde veio o crânio humano encontrado no caminho para a Ribeira de Julião?

20/05/2015 07:28 - Modificado em 20/05/2015 07:28
| Comentários fechados em De onde veio o crânio humano encontrado no caminho para a Ribeira de Julião?

cranioO NN noticiou sobre um crânio humano encontrado no mato no caminho para a Ribeira de Julião por um grupo de trabalhadores de limpeza da Câmara Municipal de São Vicente. A explicação dada até agora é que o crânio foi levado por um animal, um cão no caso, devido às pegadas desse animal encontradas no local.

Mas ainda fica a dúvida de como o crânio humano foi parar ao local antes de ser transportado pelo animal. Segundo informações recolhidas junto das pessoas que o encontraram, o crânio não tinha o maxilar inferior e era possível ver o interior. Não era totalmente esqueleto, segundo as pessoas que encontraram a cabeça e tinha ainda o conteúdo dentro da cabeça, o que leva a crer que se o corpo tivesse sido enterrado ainda não teria passado o tempo para a sua remoção da campa, visto que, tradicionalmente, levam-se cinco a sete anos no mínimo para tirar os ossos das campas.

A única explicação encontrada por alguns membros do grupo para o facto do crânio ter ido lá parar é que a “caveira só poderia ser usada para fazer macumba”. Esta posição é defendida por Patrick que acredita ser esta a única explicação para o acontecimento. E esta ideia é amplamente apoiada pelas pessoas que estavam presentes no local. Dizem que apesar de não terem mais informações sobre acontecimentos do tipo, tudo aponta para esse facto.
“A cabeça estava no meio de uma lareira em pé”, diz Patrick. Um dos presentes diz que tocou na crânio com uma catana que o fez cair e, assim, puderam ver o conteúdo dentro da cabeça.

A Polícia Judiciária não se pronuncia sobre o facto, nem sobre os resultados do rastreamento que fez no local. Mas parece afastada a hipótese que um “cão tenha transportado o crânio desde o cemitério até à Ribeira de Julião”.

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2017: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.