HBS: Utentes desconhecem existência da taxa de atestado médico que consta da tabela dos cuidados de saúde desde 2007

19/05/2015 08:04 - Modificado em 19/05/2015 08:04

Hospital Baptista Sousa_2Na sequência da notícia: “HBS: Utente revoltada por pagar 1150 escudos por cada justificação médica” veiculada pelo NN, o Hospital Baptista de Sousa veio esclarecer que não se trata de uma justificação médica, mas sim de um atestado médico que consta da tabela dos cuidados de saúde desde 2007.

A direcção do Hospital Baptista de Sousa veio esclarecer que o atestado médico que suscitou descontentamento nos utentes está inserido na tabela dos cuidados médicos desde 2007 e serve para fins diversos, fins esses que aguardamos para serem esclarecidos.

Ao consultar a lei que regula a tabela de cuidados de saúde, Decreto lei n.º 10/2007_ B.O. nº 11-1ª série de 20 de Março e o Decreto lei n.º 47/2007_ B.O. nº 45-1ª série de 21 de Dezembro, editada em Junho de 2008 pelo Hospital Baptista de Sousa para informação aos utentes, constatámos que na página número 3, “Actos médicos ambulatórios” consta realmente o serviço destinado a Atestado Médico no valor de 1000 escudos.

Embora não seja este o preço cobrado aos utentes que dizem terem pago 1150 escudos por cada documento, o facto é que o documento que serve para informar os utentes não se encontra visivelmente disponível aos utentes que dizem desconhecê-lo.

Ao que o NN constatou, depois de vários anos, os utentes desconhecem a existência do diploma assim como o valor a ser pago pelo serviço tanto é que os utentes têm vindo a solicitar justificações médicas e não atestados médicos.

O mesmo também acontece com os funcionários deste hospital que afirmam não saberem da existência dessa taxa.

De acordo com o portal Porton di Nos ilha, atestado médico é “um documento no qual é atestado o estado de saúde do utente, após exame médico”. O documento solicitado pelos utentes não tem os mesmos objectivos, uma vez que os utentes também são acompanhantes, logo, não se justifica passar um atestado médico a um utente que esteve no hospital a acompanhar um familiar.

  1. indescreta

    Pelo q me lembro a sra reclamante ,referiase a 1- duente q estive INTERNADO e nao em regimen de ambulatorio ,esso marca diferencia , referida o sustentada no decreto o lo q sea . .2- o cobro foi de 1150 esc ,nao 1000 esc ,3. o duente e’ um menor de idade o adolecente ,que mae nao ficaria nervosa , ainda mas se o caso era de tratamento cirugico (? ),entao como fica a situaçao ainda nao esclarecida .

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2017: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.