“É ridículo culpar o Governo anterior pelo acidente do Vicente”

14/05/2015 08:06 - Modificado em 14/05/2015 08:06

ulissesPara o MpD, é ridículo “tentar imputar responsabilidades ao Governo anterior da década de 90. Quinze anos são suficientes e são demais para um Governo introduzir todas as medidas de regulação, de regulamentação, de organização e de incentivo à renovação da frota”, defende o presidente do MpD, Ulisses Correia e Silva. E neste sentido diz que há um único responsável também pelo facto do caso ser grave e de não ter sido o único caso nos últimos anos.

Ulisses diz que as afirmações do Governo sobre o relatório do inquérito do navio Vicente fazem parte da sua “cultura de desresponsabilização”. Para Ulisses, também não se responsabiliza pelo desemprego, pela segurança, pela pobreza, pelo baixo desenvolvimento económico, pelos acidentes, pelos naufrágios e pelas acções que cabem no âmbito da sua responsabilidade.

“Há que olhar para os familiares das vítimas. Para a indemnização que o Estado lhes deverá dar de forma que possam ser ressarcidos pela perda, responsabilizando o Estado pelo que aconteceu”, termina Correia e Silva.

  1. Avelino R. Pina

    Lá isso é verdade. Houve tempo mais que suficiente para ser “corrigido um mal” nessa matéria, caso tenha havido.

  2. natalino

    feitiço virou contra feiticeiro

  3. Moises Leão

    Na chamada 1ª República foram adquiridos muitos barcos novos pelos Governos da época, tais como: Santiago, Santo Antão, Ilha do Komo, Boavista, Brava, etc. , mas os governos da 2ª Republica venderam-os todos e de uma forma não transparente. Se os mesmos não tivessem sido vendidos o Estado teria mais recurso para adquirir ferris novos em folha

  4. David Reis

    O governo no poder deverá arcar com as responsabilidades

  5. Maritimo

    Moises Leao
    Os barcos vendidos foram: Santiago que era um navio dispendioso pois gastava 10 toneladsa de gasoleo por dia……nem dinhairo tinha para fazer manutencao. Fazia umaviagem de 10 dias para europa, sem carga e voltava com meia carga para cv. O Santo Antao tabem a mesma coisa. Depois o Ilha de Komo era propriedade tambem da Guine Bissau.CV tinha metade da posse do navio Depois da contentarizacao da carga esses navios nao seviam para viajar para europa.

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2017: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.