Capitão João de Deus: “se a AMP tivesse cumprido com a lei o navio sequer chegaria a navegar”

12/05/2015 08:19 - Modificado em 12/05/2015 08:19

TuninhaJoão de Deus Oliveira da Cruz , Oficial de Marinha Mercante, num artigo  de opinião  publicado no jornal ASemana considera que a Agência Marítima e Portuária, AMP é a principal responsável  pelo acidente do Navio Vicente .Isto porque se tivesse cumprido com a lei o navio sequer chegaria a navegar nos mares de Cabo Verde , porque nos  seu entender “O armador do navio Vicente esteve muito mal aconselhado pelos dois inspectores da AMP que foram examinar o navio na Croácia.

O inquiridor vai mais longe quando diz que esse navio nunca deveria ter saído da Croácia, o que quer dizer que o mesmo não estava em condições de navegar. Foi o próprio quem garantiu à Seguradora Ímpar que não havia condições para o seguro do casco e máquinas desse navio.” João da Cruz revela  que “O navio Vis (nome do navio Vicente sob a bandeira da Croácia) foi, em 2010, desactivado e condenado à sucata porque já não estava em condições de navegar. Em 2011 foi comprado, a preço de sucata, por um cidadão francês, em conluio com o ex-IMP, hoje AMP, e trazido para navegar nos mares de Cabo Verde, com total indiferença pela vida do cidadão cabo-verdiano, como se este fosse filho de um Deus menor”Para  este capitão da marinha mercante a o desastre anunciado começou com a aquisição do navio em condições que considera suspeitas  e por isso questiona “A deficiente actuação das autoridades na acção inspectiva ao navio Vicente começou na Croácia há quatro anos, quando dois inspectores da AMP aprovaram a compra desse navio. Aí é que houve negligência grosseira.

1. Quem foi que autorizou a aquisição de um navio desactivado e condenado à sucata?
2. Quem foi que liderou as inspecções tanto na Croácia como em Cabo Verde?
3. Quem foi a autoridade que passou o certificado de navegabilidade a um navio, obsoleto e condenado à sucata, apesar de não ter merecido a confiança das seguradoras?

Perguntas que , certamente o Ministério Publico  irá querer ter respostas quando receber o relatório do acidente para apurar as responsabilidades criminais . João de Deus Oliveira da Cruz está convido que a  principal responsável é a ex. AMP , pois considera que “  A AMP, do alto do seu pedestal, ignorou todos os avisos e, agora, após a catástrofe consumada, pretende esconder-se de forma manhosa, por trás de um inquérito, a ver se ainda vai a tempo de salvar a honra do convento. Esse inquérito deixou claro que a AMP concedeu todas as facilidades ao armador, tendo chegado mesmo a colaborar na falsificação de documentos, passando grosseiramente por cima da Lei “.

  1. O solidário

    Uábáááá!!!!! Justiça!!!! O Povo clama por Justiça!!!!

  2. -

    Isto está claro como a luz do dia, caso queiram apurar as responsabilidades individuais e colectivas (governantes e dirigentes de empresas, instituto e agência) de cada um dos incompetentes, negligentes, q provocaram toda essa hemorragia social. E, ñ venham depois dizer q “a Montanha paria 1 rato” pq falamos de filhos de parida q se hoje ñ está + no n/ meio é pcausa de gente desse jaez. Pode ser q haja até “ratos” no 1/2 disso tudo, mas esses tem q ser “caçados” pela “ratoeira” da Justiça!

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2017: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.