Entre o bom, suficiente e mau

30/04/2015 08:37 - Modificado em 30/04/2015 08:37

contasA Assembleia Municipal de São Vicente analisou no primeiro dia de trabalho as contas de gerência e o relatório de actividades referentes ao ano de 2014. Um debate morno onde foram ressaltados alguns pontos para correcção e informações que os deputados esperavam do documento. O documento foi avaliado de forma positiva pelo MpD, enquanto que o PAICV não deu nota positiva às contas de gerência e a UCID ficou pelo suficiente.

Para Jorge da Luz, líder da bancada do MpD, com o orçamento de 2014 a edilidade conseguiu uma gestão “criteriosa” dos vários trabalhos que realizou. Fala do trabalho de calcetamento assim como dos projectos sociais e das dobras de asfaltagem e diz não acreditar “que a asfaltagem vai levar a Câmara à falência”.

Para o PAICV, a sua preocupação e a sua avaliação prende-se com a capacidade da Câmara Municipal de cobrança das receitas. O PAICV nota uma diminuição do valor orçamentado e diz que a edilidade parece ficar satisfeita com a situação. “Efectivamente há uma falta de políticas financeiras e limita-se a ficar dentro dos gabinetes à espera que os munícipes vão pagar os impostos. Tem de ser proactiva, com uma atitude de estímulo para cobrar as suas receitas, mas a Câmara é passiva e não pode ser e temos de mudar o paradigma”, afirma o líder da bancada do PAICV, Alcides Graça.

Para a UCID ainda há muito por fazer e por explorar e, neste contexto, não sente que a edilidade merece uma nota positiva pelo que fica pelo suficiente. “É preciso fazer muito mais e criar mais condições”, segundo Lídio Silva.

  1. LILI

    Sr Alcides graça ( vulgo Tcheps) .. Sugiro que de esse recado a ministra de Finanças.. pois o PAICV colocou o país de “tangas” justamente um partido que em 2001 reclamava que deixou os cofre vazios.. enfim,infelizmente este mesmo PAICV vai deixar os cofres como o encontrou. Irônico, não é ?

  2. Celina Santos

    Car amiga Lili comentadora deste artigo. É exatamente por isto que esse pais não avança. Em vez de cobrarmos os 2, o Governo e a Camara Municipal pelas más politicas que tem esta ilha na miséria, preferimos desculpar os erros de um com os erros do outro. É hora de cobrar neste artigo a C. Municipal e na 1ª oportunidade cobrar o Governo. Porque ao povo, pouco interessa se é este ou aquele que deu o pais na pedra. Importante é que estamos todos a sofrer e isto é inaceitável.

  3. fernando fortes

    O problema de S.Vicente e de Cabo Verde em geral,resume-se a uma falta clara de uma estratégia para o desenvolvimento.
    Se se perguntar ao 1º ministro o que ele pensa para desencravar o país,ele fala logo em betão e alcatrão.
    Se se puser a mesma questão ao presidentes das Câmaras,a resposta é a mesma.
    Meus senhores este é o problema.No caso concreto de S.Vicente, as receitas municipais estão em queda,por incompetência do presidente e dos seus vereadores.O homem é mesmo fraco e ele não é capaz…

  4. ahLILI,semcomparason

    se fosses funcionário publico saberias a diferença entre as dificuldades de agora em que o paicv consegue pagar os funcionários a tempo e os de 2001 quando ate os vencimentos viriam atrasados.

  5. oh sabim

    hummmmmm, elegem uma equipa de sociologos e psicologos fraquinha para governar a ilha e depois responsabilizem a praia

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2017: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.