Espargos: Criança atingida com tiro na cabeça encontra-se estável

28/04/2015 07:35 - Modificado em 28/04/2015 07:35

armaNa tarde de domingo,  Delvis Jorge Mestre Duarte de 9 anos, foi atingido com um tiro na cabeça. O tiro foi disparado por um agente da Polícia Nacional na ilha do Sal. De acordo com as informações colhidas no Hospital de Espargos, a vítima encontra-se estável.

Delvis Jorge Mestre Duarte é uma criança de 9 anos que, infelizmente, foi vítima de um tiro disparado por um agente da Polícia Nacional em Espargos, na ilha do Sal. O caso aconteceu na tarde de domingo, dia 26 de Abril. Ao contrário da versão dos moradores de Alto Santa Cruz que quiseram manifestar a própria indignação, a Polícia Nacional afirma que a ocorrência verificou-se na sequência de uma briga entre pessoas envolvendo pedras, garrafas e briga de cães.

Segundo o comandante da Polícia Nacional, João Santos, a bala terá partido de uma gente da Polícia e atingido a criança que se encontrava a dois metros de distância dos agentes no local. Tudo terá acontecido no momento em que os agentes se encontravam no local em diligências. Sabe que durante a ocorrência, um outro agente foi atingido com uma pedra e a viatura sofreu danos.

A vítima que foi atingida com o tiro na cabeça continua hospitalizada no Hospital da cidade de Espargos e encontra-se estável.

No momento em que a criança foi baleada, a mãe estava a ser conduzida para a viatura da Polícia uma vez que fazia parte da suposta desordem. A população de Santa Cruz mostra-se indignada.

Uma das moradoras de Santa Cruz nega a existência de desordem no local e diz que o agente se encontrava fora de serviço. Juntamente com outros moradores, a vizinha da vítima diz em jeito de protesto e de apelo que a justiça seja feita com urgência e seja adequada.

O acidente está a ser averiguado e a arma está a ser submetida a exames balísticos para se melhor inteirar sobre os factos e tomar medidas adequadas.

Quanto ao agente responsável pelo disparo, este permanece em exercício enquanto decorre o inquérito de averiguação.

  1. Alcindo Mamado

    Esse cabo Verde de esperança!!! já se viu onde vai a esperança do cabo verdiano: mãe entra no tumulto, entra cachorro, entra polícia, e quem paga a criança, por sinal “filho da mãe”, poderiam e deveriam ter deixado os cães chamarem a polícia, menos grave seria a quase tragédia!!! abraços aos salenses, ilha onde tenho vários familiares e amigos, mas onde nunca gostei nem gostaria de viver!!!

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2017: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.