Oito anos depois: Alegadas vítimas negam que sofreram agressão sexual

15/04/2015 07:56 - Modificado em 15/04/2015 07:56
| Comentários fechados em Oito anos depois: Alegadas vítimas negam que sofreram agressão sexual

abuso menoresO 2º Juízo Crime da Comarca de São Vicente procedeu ao julgamento de um indivíduo acusado da prática do crime de agressão sexual a menores.

De acordo com os factos apresentados em Tribunal, tudo aconteceu quando as supostas vítimas, actualmente com 20 e 23 anos, respectivamente, tinham entre 12 e 15 anos. Durante a investigação, as vítimas colaboraram com a Polícia Judiciária e com a Procuradoria para a averiguação dos factos. De acordo com a Procuradora, as vítimas descreveram os factos de forma rigorosa e clara.

Durante o julgamento, todos os envolvidos no processo negaram veemente, dizendo que nada aconteceu e que apenas comiam e, por vezes, dormiam no local e que o acusado nunca os tocou, chegando mesmo a afirmarem que o consideravam como um pai e que tudo não passou de invenções que quem levantou a questão.

A queixa do ocorrido foi feita pela mãe de um dos menores que na altura frequentava a casa que pertencia à mãe do acusado, quando este se queixou à mãe da prática do acusado com os menores. Durante a investigação do caso, foram realizados diversos exames aos menores com o objectivo de verificar se houve ou não prática do crime de agressão sexual. Os exames confirmaram escoriações no ânus em, pelo menos dois dos menores.

Segundo a Procuradora, o crime é considerado hediondo e era algo de recorrente e foi denunciado em 2008 e é um crime punível com pena entre 4 a 10 anos de prisão. E a justiça deve ser feita nesses termos.

De acordo com a defesa, o Tribunal não pode condenar o arguido com base apenas naquilo que consta da investigação, uma vez que na discussão do julgamento, as testemunhas negaram os factos. A defesa afirma ainda que a prova deve ser produzida e apresentada no decorrer da audiência, coisa que não foi feita e, sendo assim, pede a absolvição do acusado.

A defesa baseia-se ainda no facto das supostas vítimas residirem ainda no mesmo local onde, supostamente, aconteceu a agressão sexual.

A leitura da sentença ocorre na segunda-feira, dia 20 do corrente mês, às 16:30h.

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2017: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.