Âmbara da Rosa: CriatividArtes uma paixão que fintou o desemprego

23/04/2015 07:24 - Modificado em 23/04/2015 08:42
| Comentários fechados em Âmbara da Rosa: CriatividArtes uma paixão que fintou o desemprego

Âmbara da Rosa, 31 anos, natural do Mindelo, residente na cidade da Praia e licenciada em Pedagogia no Brasil, não trabalha na sua área de formação por falta de oportunidades no mercado, mas nem por isso optou por ficar no desemprego. A amante da arte deu asas à sua imaginação e lançou “CriatividArtes”. Espaço online no facebook onde comercializa bijutarias e acessórios feitos à mão com simplicidade e sofisticação sendo este o princípio da CriatividArtes.

Âmbara da Rosa escolheu o caminho do empreendedorismo e transformou a sua paixão pela arte no seu ganha-pão e disse não ao desemprego. Âmbara relembra que desde criança teve aptidão, amor e jeito para confeccionar e sempre fez alguma peça de bijutaria, customização de roupas, pintura, desenhava roupas, etc., assim, considera a arte o seu mundo onde pode fluir e criar. Actualmente a arte é o seu trabalho que tem o rosto da CriatividArtes que consiste num projecto “do nada”, como diz Âmbara. Esta conta que em Dezembro de 2012 juntamente com a sua cunhada Sara Alhinho, resolveu participar numa exposição na Noite Branca na Rua Pedonal realizada pela Câmara Municipal da Praia. A empreendedora acrescenta que “inicialmente foi uma ideia meio louca, porque não tinha nada de base em termos de materiais, mas o mais importante já tinha, o dom”. Âmbara relembra que na exposição começou com 3 modelos de pulseiras que criou da noite para o dia e um castiçal de velas, ou seja, tinha apenas 4 artigos no stand. Porém, a adesão das pessoas foi positiva e mesmo com poucos artigos, ouviu muitos elogios durante a exposição. Assim, depois dessa experiência nova, empolgante e cativadora, Âmbara acrescenta que “pus para mim mesma a questão: e agora? Já que vivenciei uma experiência única, gostaria de continuar naquilo que gosto: produzir bijutarias”.

Âmbara recorda que a vontade de tornar o sonho realidade e tornar-se numa design de jóias era enorme, no entanto, só conseguia pensar nos obstáculos como a falta de capital para investir e nos custos inerentes ao projecto como o aluguer do espaço. Porém, o marido deu-lhe uma luz e disse-lhe: “existe o facebook que é económico, tecnológico, onde podes alcançar muitas pessoas e criar uma página para expor os trabalhos”. Assim, a dificuldade tornou-se numa facilidade, visto que a paixão pela arte já estava inerente na criadora e os impedimentos financeiros foram ultrapassados devido à existência da nova tecnologia que faz o longe ficar perto: o Facebook. “Assim, em família, começámos a pensar em nomes e tentámos fugir do óbvio e queria algo mais criativo. A minha sogra Teté Alhinho sugere CriatividArtes e assim ficou o nome do meu sonho que se tornou realidade”. Contudo, para além de alguns entraves ultrapassados, “também tinha de conseguir adquirir materiais, mas graças ao apoio da família consegui fazer o primeiro mini stock e consegui viajar para o Luxemburgo, Holanda e Portugal à procura de materiais. Também tenho alguns amigos e familiares que me oferecem peças que já não usam e reaproveito-as. Ainda, às vezes, faço compras de materiais online”.

Apesar de Âmbara estar a trabalhar como comercial e estar feliz por ter conseguido lançar a CriatividArtes, garante que “continuarei a batalhar pelo que gosto que é criar bijutaria, apesar de ter menos tempo, visto que agora trabalho”. A criadora de jóias acredita que o empreendedorismo é o futuro e o principal factor promotor do desenvolvimento económico e social de um país. Se cada jovem criar oportunidades, tiver vontade, aptidão e garra para transformar isso num negócio lucrativo, temos o futuro garantido. E relembro que há grandes referências como Bill Gates e outros”, afirma Âmbara da Rosa. Esta reconhece-se como empreendedora e considera que um empreendedor, para além de ser criativo, tem de ter capacidade para liderar, visão, paixão e não desistir perante os obstáculos.

Âmbara da Rosa concluindo, afirma que está “grata à minha família e às minhas clientes a nível nacional e internacional. Afinal, o meu projecto CriatididArtes só continua porque tenho clientes, estando cada uma no meu coração”. Também a design de jóias agradece a todos que visitam a página da CriatividArtes e pelo apoio dado.

Criatividartes

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2017: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.