Festival da Laginha para comemorar aniversário da cidade

9/04/2015 01:07 - Modificado em 9/04/2015 01:07

DCIM102MEDIANo mês em que a cidade do Mindelo comemora 136 anos, a Caravela e a Casa da Morna juntam-se para a realização da 2ª edição do Festival da Laginha. Um Festival que os organizadores querem que no futuro “possa ganhar peso e que seja internacional”. A organização garante um bom Festival e está a “caprichar para que possa ir ganhando mais qualidade e dimensão”.

Tito Paris, da Casa da Morna, lamenta a pouca adesão de empresas ao evento neste momento. O desejo demonstrado era a possibilidade de terem artistas internacionais no Festival, o que não vai acontecer nesta edição. Mas garante a presença de artistas “internacionais de Cabo Verde”, artistas que vivem no exterior e que estarão presentes para dar o próprio contributo no Festival.

Como sublinha Tito Paris, o objectivo é tornar o Festival conhecido em todo o mundo.

O balanço da primeira edição é bom e, como adiantam os organizadores, foram identificadas algumas lacunas que querem impedir que se manifestem este ano em nome da qualidade do Festival, de forma a “dignificar a Casa da Morna e a Caravela”, como sublinha António Lima, Toi da Caravela.

Cartaz

O Festival acontece este fim-de-semana, sábado e domingo (11 e 12 Abril). Perto da data do aniversário da cidade do Mindelo, 14 Abril. E, tanto no sábado como no domingo, o Festival inicia às 18 horas com a actuação de artistas. Mas antes, está marcada a animação na praia da Laginha.

No sábado, inicia com actuações de Daisy Pinto, Edson Oliveira, Khira Tavares. O “prato forte da noite”, como sublinha a organização, fica reservado para as actuações de Michel Montrond, Mirri Lobo, Dani Santoz, Albertino Évora, Diva Barros, Fattu Djakité

No domingo, a Banda b vai acompanhar Anísio, Gay, Sweet Krazy e a noite termina com Grace Évora.

  1. Maria Fortes

    Estive ontem Sabado à noite no Festival de Laginha. Como uma simples observadora neutral pude constatar um fraco poder de compras (se ouvi bem um dos músicos perguntou ao publico se estavam “quebród”) mas o pior ainda pude observar uma juventude apática, desinteressada isto é uma juventude diferente daquela que estava habituada a vêr noutros festivais e tempos atras.
    Será que esta juventude já acordou ou consciencializou-se se das injustiças sociais, da exibição pornográfica das riquezas das elites, uma elite gananciosa, egoísta e das chocantes desigualdades sociais e económicas que dia a dia se vão tornando mais claras e evidentes?
    De qualquer forma estamos perante uma outra juventude, uma juventude diferente de alguns anos atrás, com mais formação escolar, mais bem informada, mais assertiva. e uma juventude que não vai vender mais a sua consciência e o seu futuro por 500 escudos, por um saco de cimento, por um saco de arroz,etc,etc,
    É pena que temos sociólogos até em demasia nesta Terra, temos universidades também em demasia, é pena tambem que esse problema tenha sido desprezado e camuflado pelas autoridades e instituições competentes, alias tambem pela sociedade em geral que tem fechado os olhos perante um problema latente que deveria ter sido estudado e analisado há mais tempo.
    Essa juventude desencorajada, que já nem consta nas estatísticas de desempregados, portanto social e economicamente em posse de uma certidão de óbito, pode ressuscitar a qualquer momento e exigir aquilo que lhe foi roubado ou extorquido. E não quero ser pessimista, e nem tao pouco estou em posse de nenhum oráculo que consiga prever o futuro mas uma coisa é certa: – o combustível para catalisar e incendiar toda uma frustração social latente está em forja. E os”Capitães Ambrosios” estão à espreita e tambem afiando as espadas.Será que os responsáveis poderão ainda a tempo inverter o curso da Historia? Quem melhor saiba que o diga!

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2017: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.