Vitima aceita indemnização mil e oitocentos contos

9/04/2015 01:00 - Modificado em 9/04/2015 01:00

EscudosJoão Dias foi condenado a pagar uma indemnização de mil e oitocentos contos (1.800.000) à vítima de um acidente de viação provocado por ele. Indemnização resulta  de um mútuo acordo entre a vítima e o arguido.

O Tribunal procedeu ao julgamento de um indivíduo acusado do crime de ofensa à integridade física. À acusação do crime de ofensa à integridade física junta-se ainda o crime de condução sob o efeito do álcool que esteve na origem do atropelamento.

Durante a sessão de interrogatório, o 2º Juiz Crime da Comarca de São Vicente achou por bem propor aos dois lados um acordo. O termo do acordo consistia no montante digno que a vítima deveria receber, tendo em conta os danos causados aquando do atropelamento.

O montante exigido pela defesa era de três mil contos, justificando este montante pelos danos sofridos pela vítima que são “irreversíveis”, uma vez que esta não consegue mexer o braço direito, a face direita ficou desfeita, ficou com o úmero (osso da perna) do lado direito fracturado e teve de colocar uma placa de metal, cinco costelas quebradas e ainda danos na visão devido ao impacte da queda, pois esta afirma que anteriormente não tinha problemas de visão e precisa de um tratamento no nervo óptico e o valor das despesas é muito elevado, tendo em conta que este tipo de tratamento não é feito em Cabo Verde, elucidou o advogado da vítima

Enquanto que a defesa fazia a sua deliberação, justificando o montante exigido, o representante do arguido afirmou que o seu cliente estava ciente da indemnização, mas que achava excessivo o valor apresentado, garantindo que não há bases para sustentar o valor.

Feitas as negociações conseguiu-se chegar ao montante de mil e oitocentos contos (1.800.000) a serem pagos de seis em seis meses, em seis prestações de trezentos mil escudos (300.000) cada. Com este acordo, a vítima desiste do crime de ofensa à integridade física, uma vez que o arguido concordou indemnizá-la com o montante estabelecido no Tribunal.

  1. Amílcar

    Só um reparo, úmero pertence ao braço, o osso da perna é fémur tenham atenção.

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2017: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.