Envolvidos no caso ‘Perla Negra’ ouvidos na Procuradoria

7/04/2015 07:34 - Modificado em 7/04/2015 07:34

Perla Negra1Os arguidos envolvidos no caso ‘Operação Perla Negra’ estão a ser ouvidos pela Procuradoria de São Vicente e dentro de um mês serão julgados pelo Tribunal desta Comarca.

Os seis arguidos envolvidos na  operação denominada ‘Perla Negra’ estão a ser ouvidos pela Procuradoria de São Vicente. As testemunhas também estão a ser confrontadas pelo Procurador da República.

Na passada quinta-feira, a Procuradoria ouviu o director da PJ e o arguido Xando num  procedimento legal que deverá ser realizado na fase de instrução do processo antes dos arguidos serem acusados.

Os seis detidos na operação “Perla Negra”, José Prats Villalonga, espanhol, Ariel Benitez, cubano, Patrick Komarow, sueco, Alexandre Borges, conhecido como Xando Badiu, cabo-verdiano todos residentes na cidade do Mindelo, e os dois tripulantes do iate de nacionalidade espanhola, vão ser acusados dentro de um mês.

Os seis indivíduos surpreendidos pela PJ em flagrante delito na posse de 521 quilos de cocaína estão a ser acusados de tráfico internacional de droga e associação criminosa e encontram-se em prisão preventiva desde o mês de Novembro. A droga foi deixada numa praia de Salamansa por um iate que vinha da América Latina e tinha como destino a Europa. Foram ainda apreendidas duas metralhadoras G3 FMP, duas pistolas e um revólver de pequeno calibre e 320 munições de diferentes calibres.

As duas metralhadoras G3 e as munições foram apreendidas em casa de Xando três dias depois. Xando foi detido na estrada do Lameirão com cerca de 320 quilos de cocaína no seu Hyace.

Os mesmos incorrem numa pena de quatro a doze anos de prisão por tráfico internacional de droga e dois a oito anos por associação criminosa.

Quanto aos “boatos” que o arguido Xando pode ser absolvido por causa da sua doença, estes  não correspondem à verdade.

Segundo uma fonte, Xando sofre de hipertensão e de diabetes, mas isso não implica que não seja tratado dentro da cadeia, uma vez que não se trata de uma doença de grande gravidade e que pode ser tratada. Por isso, a doença do arguido não irá ter qualquer peso na decisão que o Tribunal poderá vir a tomar.

 

 

  1. CidadaoCV

    Pois é … Espero só para ver que serão os advogados destes traficantes, embora já “desconfio” quem serão…

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2017: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.