Mindelenses opinam sobre o novo estatuto : “um assalto descarado aos bolsos dos cabo-verdianos ” “

30/03/2015 08:02 - Modificado em 30/03/2015 08:02

assembleia nacionalO novo Estatuto dos Cargos Políticos aprovado na semana passada tem vindo a gerar polémica na da sociedade cabo-verdiana. Os mindelenses consideram a aprovação do novo estatuto “um assalto descarado aos bolsos dos cabo-verdianos

A sociedade cabo-verdiana está revoltada com a aprovação do Estatuto dos Cargos Políticos que destaca o aumento dos salários dos deputados e dirigentes políticos e muitas outras regalias; direito de uso e porte de arma de defesa, uso de passaporte diplomático, subsídio de reintegração equivalente a dois meses de ordenado por ano de serviço e o desenvolvimento na carreira independentemente de concurso. O estatuto passa a vigorar a partir de 2016 e prevê um aumento salarial de 65 por cento.

Os entrevistados pelo NN, posicionam-se contra e consideram que a provação do statuto por parte dos políticos foi uma artimanha que inventaram para meter as mãos nos bolsos dos cabo-verdianos.

Para Andreza Lima, “não se pode confiar em ninguém muito menos nos políticos que cansaram de enganar o povo e agora resolveram roubar os coitados de forma descarada, desavergonhada e escrupulosa”. A jovem licenciada em Gestão diz ter um emprego precário, trabalhando oito horas por dia e usufrui de um salário de 20 mil escudos, o que é insuficiente para cobrir as suas despesas básicas.

A entrevistada considera que trabalha muito mais do que qualquer político que trabalha apenas algumas horas e que, depois, vai descansar debaixo do ar condicionado.

“Tenho orgulho do meu país, mas os políticos envergonham-me. Roubar os cabo-verdianos desta forma é mandar morrer à míngua”. Alícia Gomes considera que não é altura própria para aumentos salariais uma vez que o país passa por situações difíceis pois, muitas pessoas não têm uma refeição por dia, os aumentos dos impostos são sucessivos, acabámos de enfrentar uma catástrofe. O momento é impróprio para “caçubody”.

Augusto Gonçalves considera “uma vergonha por parte dos políticos”. Na opinião do entrevistado, os cabo-verdianos vão trabalhar para enriquecer os políticos. O mesmo avança que o país não deve continuar a ser dirigido por políticos que apenas pensam nos seus umbigos. O clamor do povo não é ouvido, os políticos preferem tapar os ouvidos fingindo não ouvir a dor e o grito dos coitados.

Os entrevistados garantiram a presença na manifestação popular que acontece hoje às 16 horas, no largo da Pracinha da Igreja, realizada pelo Movimento Para Acção Cívica (MAC# 114) com o objectivo de manifestarem a própria indignação à volta da aprovação do Estatuto dos Cargos Políticos que consideram inoportuna dada a conjuntura económica, social e financeira que o país atravessa.

  1. no one

    Ainda sera preciso mais do qe isso para qe nós o povo de cv se torne un só infelizmente e essa mudança terá qe passar em primeiro lugar dentro de cada cada caboverdeano pq os politicos só estao a fazer isso pq os elegemos 1 e mais vezes e para qe ningem esqece qe eles (os governantes) nao sao nada mais qe o espelho da nossa sociedade como pur exemplo os nossos hospitais as nossas esqadras da policia as escolas como tudas as nossas instithuiçoes qe não passam de conchas ocas só fachadas

  2. no one

    Pq nus preocupamos em levantar edificios mas nos esqecemos de formar pessoas pq antes do diploma vem a pessoa em si e infelizmente nos os cboverdeanos perdemos a nossa identidade só pensamos em estatuto social e economico e tudo aqi funciona a base disso ja chegou a hora de todo ocboverdeno fazer uma introspecção bem profunda dos seus valores qe estoa todos trocados e equivocados qe deus nos abencoe a todos

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2017: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.