Mulheres precisam de mais espaço apesar dos desafios ganhos

25/03/2015 08:17 - Modificado em 25/03/2015 08:17
| Comentários fechados em Mulheres precisam de mais espaço apesar dos desafios ganhos

mulheresEm Cabo Verde, as mulheres vêm conquistando algum espaço na vida política do país, havendo nove no Governo, superando o número de homens que ocupam sete pastas ministeriais.

É o segundo país em África com mais mulheres no Executivo mas, nota-se ainda uma presença reduzida das mesmas no Parlamento.

Também a nível do poder local, ainda é fraca a presença de mulheres, já que dos 22 municípios, apenas o do Porto Novo na ilha de Santo Antão, é dirigido por uma uma, Rosa Rocha, actual presidente da Câmara Municipal do Porto Novo.

A Ministra da Educação e Desporto Fernanda Marques considera que a presença de um número significativo de mulheres no Governo demonstra a sensibilidade do Primeiro-ministro em reconhecer a competência e a capacidade de liderança das mesmas, uma vez que estas têm sabido responder positivamente aos desafios que lhes são colocados, cumprindo as respectivas atribuições sem qualquer tipo de limitação.

Apesar dos passos que têm sido dados, Marques entende que a forma como a política ainda é feita no arquipélago em que os ataques pessoais se sobrepõem muitas vezes à discussão de ideias, dificulta de alguma forma, o interesse das mulheres pela política activa.

A Ministra da Educação e Desporto considera que em Cabo Verde as mulheres têm acompanhado o processo de escolarização e formação lado a lado com os homens.

A eleição da primeira mulher para a liderança de um partido político, Janira Hopffer Almada, para presidente do PAICV pode, no dizer de Fernanda Marques, estimular mais cabo-verdianas a seguirem a carreira política.
O presidente do MpD, na oposição, afirma que se devem criar condições para que as mesmas possam ter oportunidade de ingressar na vida política e ocupar cargos de relevo na gestão do país.

Correia e Silva diz que essas condições não devem, no entanto, passar pela introdução de cotas, modelo que o MpD não defende para a inclusão de mulheres nas listas.

É de realçar que segundo o relatório da União Inter-Parlamentar (UIP), Cabo Verde ocupa a segunda posição no ranking dos países do mundo com mais mulheres titulares de pastas governamentais. Cabo Verde só é ultrapassado pela Finlândia com 62,5 por cento de ministras.

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2017: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.