Taxas Alfandegárias: um problema sem solução

20/03/2015 00:08 - Modificado em 19/03/2015 20:18

Num país pobre com leis de ricos, é imprescindível dizer o seguinte:

Quando não se paga qualquer taxa, fica-se satisfeito e a probabilidade de voltar a fazer outra encomenda é grande, na esperança que não se pague nada uma vez mais.

O pagamento de taxas alfandegárias é muitas vezes um obstáculo preponderante em comprar-se fora do País. Devido a isso, sempre que se realiza uma encomenda existe a dúvida do possível pagamento de taxas ou quanto ter-se-á de pagar.

Não creio que há um Mindelense que não tenha enfrentado o constrangimento de pagar uma Taxa Alfandegária. Ora, o problema desse constrangimento, não prende-se com o facto de termos efectivamente de a pagar pois, a meu ver, nada é de graça e todos temos e devemos colaborar.

Porém, o meu espanto reside no facto do valor de uma taxa ser muitas vezes superior ao valor da compra inicial. Mesmo sendo eu leigo nessa matéria não poderia deixar de estranhar que uma taxa seja igual ou superior ao valor de aquisição de um produto.

Bem sei que, numa aquisição no estrangeiro temos que ter em conta os direitos aduaneiros, valor das mercadorias, despesas de transporte, seguro  entre outras despesas. Todavia, nunca podem ultrapassar o valor total da mercadoria.

Vale a pena comprar algo no estrangeiro pelo preço de 10 e depois pagar 10 ou 15 pelo despacho e pelas taxas alfandegárias? A resposta certamente dependerá dos bolsos de cada um.

Numa ilha em que a penúria teima em não desaparecer há muitos que vangloriam. Como diz o ditado em terra de cego, zarolho é rei! Facto é que é visível muitos despachantes oficiais, grandes quadros das Alfândegas e da Enapor por ai deambulando em altas máquinas tudo isso, incólume aos olhos daqueles que têm algum poder nas mãos.

A situação ganha contornos indiscritíveis  na medida em que, muitos poderiam com um pouco de esforço conseguir algo, infelizmente para aqueles que por norma legislam pouco ou nada querem saber do assunto.

De facto, fico estupefacto com o impacto desses abutres que tudo comem e nada deixam.

Relativamente as taxas para os automóveis com uma certa idade, o governo torce o nariz perante as revindicações do Zé Povinho, alegando questões ambientais, como se alguma vez se preocupassem com os reias problemas que assolam o ambiente. Por diversas vezes já vi viaturas a circular pelas ruas de Mindelo em estado lastimáveis. Outros coitado, mais valia dizer ao gajo: Vai a pé que ainda chegas a tempo.

Creio ser altura de deixarmos de lado os falsos moralismos e concentrarmos no que realmente interessa. Não podemos suportar essas atrocidades, que mais nos prejudicam do que outra coisa.

Nilton Sousa

Relações Públicas e Secretariado

Email: niltonsousa@hotmail.com

 

  1. Restaurador

    No dia 1 de Janeiro a República de Cabo Verde deveria ter aplicado o novo regime de tarifas da CEDEAO, com uma relevante alteração em favor dos importadores e exportadores. A TEC é uma medida aceleradora dos negócios, sendo que oferece a oportunidade de distribuir nas ilhas mercadoria de qualidade mais alta a paridade de custo, mais a oportunidade de fazer importação para re-exportar nos paises CEDEAO, a beneficio da economia nacional. Temos noticia disso?

  2. This is Brontok

    Sim senhor, excelente chamada de atenção, pena que ninguém reparou a não ser eu..o zé povinho é descendente dos portugueses, e estes, quanto mais lhes vao ao c mais arregassam, por isso, keep calm ke li e cabo verde, kem tem tem, kem não tem dorme a sonhar

  3. boss

    Bom artigo amigo. Na verdade as taxas alfandegarias sao uma atrocidade nedte pais.

  4. mindelense

    Essas taxas descomunais so faz com k haja mais pobreza no pais.

  5. SV

    Concordo plenamente! Uma taxa deve ser algo simbólico e não um roubo como acontece em Cabo Verde!

  6. Spinola

    O desalfandegamento aqui em cabo verde é algo que devíamos preocupar pois, a taxas aqui são das maiores da Africa! Todo o cuidado é pouco.

  7. Tributário

    Num país com graves dificuldades como o nosso as taxas alfandegárias deveriam ser modestas por forma a conseguir dar a volta a pobreza que existe e é visível. Mas como disseste e bem aqueles que decidem pouco ou nada se preocupam com isso!

  8. zaidy

    Na verdade no precisa de artigos desse género p desperta es terra onde poucos são privilegiados

  9. Bom artigo amigo. Na verdade as taxas alfandegarias, nos preocupa de uma certa forma que não queremos comprar fora porque o preço da compra fica sempre superior ao produto, isto é uma atrocidade e precisamos despertar para tentar mudar está situação.

  10. Dirce

    O pagamento de taxas alfandegárias é um obstáculo preponderante no desenvolvimento do país e na diminuição da pobreza. O Problema é que muitos não querem ver isso.

  11. João Miguel

    De facto, fico estupefacto com o impacto desses abutres que tudo comem e nada deixam. HIIHI essa é boa. abraço

  12. Spinola Santos

    Um chamada de atenção pertinente! De facto os que governam em nada preocupam com os reais interesses do povo.

  13. Rosy

    As taxas alfandegárias em cabo verde são sem dúvida um roubo. Há muitos interessados em ganhar com isso por isso, será difícil baixar essas taxas.

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2017: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.