JMN : “Precisamos evoluir para um debate sério nas redes sociais e jornais digitais”

19/03/2015 07:56 - Modificado em 19/03/2015 07:56

JMNO Primeiro-ministro José Maria Neves traça um balanço positivo dos quinze anos de governação do PAICV. Para Neves, neste momento no país “há menos crispação política, há uma visão de desenvolvimento e há uma aceleração do ritmo de crescimento e de transformação da economia cabo-verdiana”.

Mas, para Neves o debate nacional deve ser de ideias. “Há tentativa de destruição de carácter. Há um debate pouco fundamentado e, sobretudo, precisamos de evoluir nas redes sociais e nos órgãos digitais para um debate mais elevados sem anonimato e sem ataques pessoais”. Defende ainda que estes aspectos acabam por condicionar a liberdade de imprensa e criam constrangimentos à política nacional.

Voltando para a governação, diz que a administração pública é plural. “Considero que a sociedade é muito marcada pelo debate partidarizado e que ainda há espaço de excessiva partidarização da administração pública apesar dos avanços para ultrapassar estes constrangimentos”.

  1. Ana Paula

    OLHA QUEM FALA kkkkkkkkkkk Mas quem afinal que partidariza a administração publica? quem é que oferece os tachos aos camaradas? quem é que oferece de bandeja cargos e biscates a certos administradores (as) para receber mais de um salário churudo? Quem que dá prémios aos derrotados e fracassados políticos com pastas no governo, cargos de D.Geral, avenças, etc etc? Quem é que coloca técnicos na prateleira e contrata amigos camaradas com triplo de salários p fazer o mesmo trabalho? Convenhamos…

  2. Pedro Rogério Delgad

    jmn-precisamos-evoluir-para-um-debate-serio-nas-redes-sociais-e-jornais-digitais/. Ora, se os jornalistas pegassem nas minhas opiniões sobre o Direito e Política, o nosso Estado de Direito Democrático seria autêntico. Não imaginas a falta de capacidade de maior parte de jornalistas em desenvolver postagens de interesse público, como é o caso de a maior parte de clientes de bancos comerciais terem de pagar taxas de juros exorbitantes -fixadas pelo Governo contra a Constituição de 92 com fundamento em inconstitucionaliade orgânica; assim como, relativamente às Circulares do Conselho Superior (CS) da Ordem dos Advogados de Cabo Verde que impedem advogados do exercício da actividade por violação do artº. 42/1 CR de 92 (liberdade da profissão) que proibe a restrição a esse direito fundamental por via de incumprimento de QUOTAS, face à omissão deste CS em não editar Circular que, por força dos Estatutos, impede advogados do exercício que exerçam funções públicas, como as de deputado, por incompatibilidades; sem prejuízo de afirmar que muitas das declarações de inconstitucionalidade do STJ, enquanto TC, terem sido proferidas para agradar mais ao Estado que a Cidadania, ao não impor a devolução de impostos, como por exemplo. Tudo, isso foi publicado por nós nas redes sociais. Pedro Rogério Delgado, cabo-verdiano de nacionalidade, pPortador do Bilhete de Identidade de Cidadão Nacional A ver vamos!

  3. Maria José

    Quem é doido para sair do anonimato e depois vir a ser perseguido pelo regime do PAICV? Nem pensar.

  4. Augusto Galina Tavar

    “Cause toujours, mon gas !”. De promessas estamos fartos como estamos fartos das tuas tiradas tirânicas. Nunca ouviste ninguém e nunca estiveste disposto a ouvir. Mesmo partindo continuas insistindo na tua postura.
    Ninguém mais acredita nas tuas promessas que não passam de mentiras compulsivas que causaram tantos danos e descontentaram os teus prôprios correlegionàrios.
    Vade retro !!!

  5. roxana aguilera

    … e ouvir ……,porque nas redes sociales se fala serio ,se fala verdad que algunas personas nao gostan ,e evitan que se publiquen ,sea CENSURANDO o mandando virus ,cuando no pueden quebrar al q ejerce la LIBERTAD de EXPRESION y de la PRENSA . : Quien nada debe ,nada teme ,sr PM , Vai a ver quienes de sus amistades ganan en el PUBLICO mas q bo . ,esto e’ IMORAL e ate prevericaçao

  6. mateus

    Quando Jose maria Neves diz que ” há uma visão de desenvolvimento e há uma aceleração do ritmo de crescimento e de transformação da economia cabo-verdiana”… acho que precisa de refletir antes de se pronunciar ou melhor ainda:em vez de gastar dinheiro com grandes comitivas nas inaugurações, leva essas mesmas pessoas para dar uma volta nesses bairros periféricos e procura estratégias para diminuir o nível de desemprego nessas populações desses mesmos bairros.

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2017: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.