MpD-São Vicente: Pensar nas autárquicas depois das legislativas

11/03/2015 07:50 - Modificado em 11/03/2015 07:50

MPDO MpD já tem definido a sua estratégia para definição das cabeças de lista para os diversos círculos eleitorais, assim como a definição dos candidatos para presidentes de câmaras e assembleias. E ao que parece os olhos estão voltados para o embate mais próximo, que se espera que seja as legislativas. “O nosso partido já definiu e está focado nos trabalhos para as legislativas e só vamos debruçar para as nomeações para as listas da CMSV depois das legislativas”.

João Gomes, coordenador do MpD em São Vicente, mostra a vontade do partido trabalhar para conseguir chegar ao poder em 2016. “Estamos fazendo o nosso trabalho”, como sublinha. O partido é oposição ao governo e o trabalho tem como meta governar.

Ou seja, a preocupação centra-se onde não está governando. Na mesma forma remete a um trabalho mais árduo para a oposição quando se trata de governação municipal. “O MpD tem uma posição de vantagem. O MpD é poder na CMSV”. E nesta óptica, para o coordenador, a responsabilidade é maior para a oposição que tenta conseguir tirar o MpD do poder municipal.

E João Gomes mostra-se satisfeito com o trabalho desenvolvido nos últimos três mandatos que o MpD tem assumido a edilidade. “O MpD tem uma grande responsabilidade e não vai ser julgado pelo mandato 2012-16, mas pelo que fez desde de 2004. Estou convencido que a população de São Vicente reconhece que a cidade e a ilha ganharam e muito com a gestão do MpD”.

Sendo assim, espera pela calendarização das eleições, as legislativas em Janeiro e as autárquicas em Julho, aproximadamente, o que daria tempo de preparar cada eleição a seu tempo. Por isso, diz não se importar com nomes no momento de possíveis candidatos aos órgãos autárquicos.

Reitera apenas a confiança na equipa actual da CMSV e do trabalho que tem sido desenvolvido. O importante, como sublinha João Gomes, é que ele e a sua equipa possam trabalhar para criar as condições para que a executivo camarário possa cumprir as suas promessas. “Não estamos preocupados com os candidatos porque temos um presidente a trabalhar e é nossa convicção que a população está satisfeita”.

  1. Nelson Monteiro

    Ah, Ah, Ah, Ah, Ah, Ah. Foi por centrar-se onde não estava governando que o MPD foi escorraçado do Governo em 2000. Vê-se que o problema é poder, poder, poder, se o PAICV os tira ou não do poder…, enquanto a vida das pessoas se torna um calvário nesta ilha. Para que fomos votar em 2004, 2008 e 2012 se não servisse para julgar o trabalho nos respectivos mandatos? Ainda bem que este senhor fala tão poucas vezes. É a Mediocridade no seu auge.

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2017: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.