Devagar, mas avança

9/03/2015 08:20 - Modificado em 9/03/2015 08:20

complexo turisticoEm 2012, a empresa Devotal fez o lançamento oficial do projecto de construção de um complexo turístico composto por vivendas de luxo na Baía de João d’Évora, na ilha de São Vicente. As obras arrancaram em 2013. Num balanço sobre o decurso das obras, o empreiteiro Eng. Jair Lima, da Spencer Construções e Imobiliário, diz que “nesta primeira fase estão previstas trinta vivendas”. Tudo está dentro do cronograma mesmo face a alguns constrangimentos, como avança. 

“É uma zona onde não se pode mexer muito no ambiente e não se pode alterar  muito a paisagem. Pelo que tivemos a necessidade de ir adaptando os projectos ao ambiente envolvente. Ao longo do tempo, o projecto foi sendo alterado para se poder ter um melhor enquadramento na zona”. Estas são algumas razões de alguns atrasos no projecto. Mas acredita que  é  um projecto que vai valorizar muito a zona.

Jasper Vercruys, representante do promotor do projecto, diz que é um projecto diferente em que todo o material utilizado é de origem local. É um empreendimento de longo prazo.

Em primeira mão avança que na segunda fase proceder-se-á à construção de um Resort no local e de um monumento. “É uma zona nobre, uma das últimas que estão perto da cidade e que tem um vista e uma natureza únicas. Por causa disso, o conceito é especial pois tudo fica acessível a todos. A praia não é privada e continuará acessível a todos. Neste momento, o projecto beneficia 93 trabalhadores directos. Mas levando em conta os trabalhos indirectos, estima-se que 130 pessoas trabalham no projecto.

Outra questão levantada por Jair é a da mão-de-obra. Diz que devido à complexidade do trabalho, era necessária uma mão-de-obra preparada para tal. Esse facto tornou necessária a criação de um grupo de trabalhadores capazes de realizar o projecto.

  1. Eduardo Oliveira

    Ê preciso ter coragem e amar a Ilha de S.Vicente para empreender trabalhos deste tipo.
    Até podia haver mais gente a dar o seu contributo para o desenvolvimento da ilha mas não é segredo para ninguém que os constragimentos inexplicàveis são enormes.
    Se houvesse a Regionalização (ou Descentralização) tudo seria mais fàcil na medida em que não ousavam pôr travões. Cada macaco no seu galho e cada um com a sua banana (ou limão…)

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2017: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.