“Não sou mãe do meu filho”

25/02/2015 02:19 - Modificado em 25/02/2015 02:19

b.iA cidadã Sandra da Luz mostra-se indignada com os serviços do Registo Civil de São Vicente depois de ter descoberto que “no papel não é a mãe do seu filho”. Isto, devido a um erro que atribui aos serviços dos registos de São Vicente que erraram ao transcreverem o seu nome nos documentos do filho.

O erro foi descoberto depois do filho ter recebido o seu bilhete de identidade. Ao receber o bilhete de identidade, apercebeu-se que o seu nome Sandra tinha sido mudado para Samira. “Não sei como é que conseguiram escrever o nome errado se na hora do registo do meu filho entreguei-lhes o meu BI para copiarem o nome”.

Diz que confrontou os serviços com o erro e foi informada que teria de dar entrada a um processo para mudança do nome, o que restauraria o erro. Todo o processo ronda à volta dos sete mil escudos. “Não consigo entender como é que eu tenho de pagar por um erro que eles cometeram”, desabafa.

Avança que, de momento, sente-se prejudicada. Conta que esteve a tratar de assuntos pessoais onde tinha de apresentar o agregado familiar e não conseguiu continuar por causa do erro no registo do filho. E o sentimento é de indignação pelo erro cometido, já que sente que também não pode assinar pelo filho no caso de uma oportunidade porque “o que consta é que não é a mãe do seu próprio filho”.

Trabalhando como empregada doméstica avança que o esforço para resolver uma situação criada pelos serviços do registo não será fácil. E, por isso, pensa que os serviços deveriam reconhecer o erro cometido.

  1. CidadaoCV

    Como é que é? O erro foi descoberto só quando o filho tirou o BI? Aos 11…12 anos? Então esta senhora no dia do registo, ao receber a Cédula do filho, recém nascido, não leu o lá estava escrito? E quando foi matricular o Filho, no Jardim, na escola primária? Nunca teve a curiosidade de ler um documento relacionado com o Filho? Esta senhora que me desculpe, mas foi muito desleixo da parte dela. E concordo plenamente que ela tenha que pagar para a correcção deste erro. O erro dela é muito maior que o erro cometido pelos serviços de Registos de SV. A única atenuante a dar a esta senhora é se ela não sabe ler …

  2. Fiat lux

    Tens toda a razão Sandra, o erro foi cometido pela Conservatória e ela é a responsável pela sua reparação. Aliás deves ser compensada por eventuais transtornos causados por essa falha. Os dados são colhidos através de documentos bastantes e a falha nunca deve ser imputada ao cidadão, mas sim ao trabalhador. Força nessa luta. Ainda a nossa administração pública nos faz muita vergonha.

  3. gsf

    é uma vergonha os utentes terem que pagar para ver corrigido os erros cometido pelos funcionarios publicos. Essa senhora deveria processar os registos pelos transtornos causados.

  4. criola dsoncente

    Erros moda ex tita contce ne td Serviços de cv ,nex embaixadas einda e pior .um faze nhe passaport ne embaixada de cv ne paris ex pom nhe data de nasciment meriot (um k te comprende porque k gente te entregax um certidao no acto de faze passaport ) clari k num pais moda frranca e um erro inaceitavel e ne td lugar ex te erri dnha cara kond um te explicax,mas triste einda k ex te dzem k so ex pode “isdam ” kum pepilim te dze k ex erra e el e ne aceitod ne nenhum lugar ou entom um tenk torna faze ote passaporte (tcham erri pum k tchora ) pagot k nhe dnher ,moda se dnher e panhot na tchom

  5. Nilda Lopes

    Esse è um problema grave,em princìpio pode-se julgar que nas instãncias devem trabalhar pessoas competentes que têm obrigaçao de exercerem as suas funcoes de um forma quasi perfeita mas eu tambem jà passei por esta. Um conselho para todos os caboverdeanos: leiam com atençao todos os papeis importantes pois qualquer erro custa muito tempo, dinheiro e uma fonte sem fundo de paciência pela parte da vìctima (o inqueridor) pois as intãncias nunca assumem os seus erros.

    Nilda

  6. atentos.vicente

    Ó burro do cidadaoCV!!

    Nao entendeste? Quanto a mae foi registrar o filho ela levou documento certo com Sandra da Luz. MAs o seu filho foi pedir um bilhete em vez de colocarem Sandra da Luz nome da sua mae colocaram Samira da Luz!! entendeste? entao a culpa é 100% deles. Entao a Sra Sandra nao tem nada que pagar nos registros porque a culpa nao é dela. Entao o que é isso? Eles que assumem o erro e que prestem mais atenção na base de dados.

  7. Nacionalista

    Os funcionarios também são humanos e por isso eu acho perfeitamente que eles podem errar, o que eu não entendo é a senhora, volvidos muitos anos(11,12 ou 13 anos) que são as idades que normalmente fazemos o pedido de BI ( em C. Verde), isto demostra claro a irresponsabilidade da mãe que so sera atenuada se no caso ela for analfabeta como disse e bem “CidadaoCV” porque de outra forma ela deve arcar com esta responsabilidade , ou então culpar os dois( A senhora 50% e os registos 50%).

  8. Caboverdiana

    Não consigo entender como é possível uma coisa desta, erram, o que é normal já que errar é humano, mas não assumem a culpa e com isso tratar eles mesmo os trâmites para que se possa colocar o nome verdadeiro na certidão da criança, só mesmo em CV que se paga pelos erros dos outros, impressionante.
    PS: Nem vou falar aqui nos casos em que eles se acham no DIREITO de escrever o nome dos nossos filhos como querem. Chatice de país com trabalhadores incompetentes.

  9. JM

    O maior absurdo é a conservatória ter-lhe informada que terá de promover o um processo para mudança de nome. que bestas. Então mas ela quer mudar de nome? ou apenas que corrigem o erro? E se tiver mais filhos cujos dados estejam correctos (ou seja, sandra)? É normal o erro só foi descoberto agora, a cédula pode ter os dados corretos e no livro ficar o erro. Burros. Na conservatória da Ponta do Sol em SA gozam tanto com as pessoas que inventam apelidos aleatoriamente, nomes.conheço uns 50 casos.

  10. J. ao Atentos.vicent

    Acho que não percebeste o que esta escrito na notícia. se fosse isso não havia problema, apenas pedir outro BI e a Conservatória nao teria informada a Sandra para entrar com um processo de mudança de nome. Estranho é que és tao estupido/a que começas por chamar aos outros o que tu es(burro). Haja paciencia meu deus..

  11. sofia monteiro

    eu penso que o Cidadão CV não deva ser chamado de burro porque na noticia escreveram o seguinte:“Não sei como é que conseguiram escrever o nome errado se na hora do registo do meu filho entreguei-lhes o meu BI para copiarem o nome”. ou seja é perfeitamente normal entender que o erro foi na registo (é o que esta escrito)e não quando solicitou o BI. Boa Tarde

  12. Rogerio Rodrigues

    Na verdade a culpa não é totalmente do pessoal do
    Registos Civil. Ela devia ler bem o assento de nascimento quando
    ia assiná-lo e aí via a falha.

  13. Robin

    O “Nacionalista” e o “Cidadão CV” não perceberam patavina da notícia. As suas opiniões não têm nenhum sentido.

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2018: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.