Professores estão em greve e ministra diz que está com a consciência tranquila

24/02/2015 08:13 - Modificado em 24/02/2015 08:13

greveOs Sindicatos (SINDEP e FECAP) confirmam a realização da greve para os dias 24 e 25 de Fevereiro (quarta e quinta-feira). Nicolau Furtado do SINDEP disse, em conferência de imprensa, que houve a expectativa de se chegar a um entendimento com a realização de vários encontros. Mas estes “não surtiram efeito”. E diz que os encontros foram apenas “promessas e sem garantia para as reivindicações” dos professores. Entre as questões sem resposta, encontram-se a da grelha salarial, o novo enquadramento dos professores e as reclassificações.

Perante o não cumprimento das promessas e dos direitos dos professores, os professores partem para a greve esperando o apoio dos alunos e dos pais e encarregados de educação.

João Pedro Cardoso da FECAP, diz que o sindicato está a “responder a um chamamento dos professores que já cansaram de esperar pela solução dos seus pendentes que remontam à legislatura anterior que já se encontra no fim desta legislatura”. E assegura que já chegou a hora de resolver os problemas dos professores.

E dá a certeza que a luta não ficará somente pela greve. Isto porque, como adianta, no caso da greve não surtir o efeito esperado, partem para outra manifestação geral no dia 23 de Abril, dia dos professores e o congelamento das notas. Equaciona-se também a greve por tempo indeterminado.

Ministra lava as mãos

A Ministra da Educação, Fernanda Marques, afirma à RCV que está de consciência tranquila. Diz que nos encontros, o Ministério teve a atitude de tentar resolver os problemas. “As velocidades de resposta são diferenciadas mas são de acordo com a realidade concreta do país. Temos a consciência de termos aceite os pontos principais das contrapropostas dos professores”. E acrescenta que todos os chamados pendentes são resolvidos na transição do estatuto do pessoal docente para o estatuto de carreira docente.

  1. mateus

    a Sr a ministra falou que a greve é motivada por fins políticos. pelo que constatei hoje nas Escolas Secundárias,muitos militantes do PAICV aderiram a greve , pois colocaram a camisola de “professor”. O que quero dizer a Sra Fernanda, é para resolver todas as revindicações dos professores,evitando problemas sociais.

  2. Alcindo Mamado

    Os alunos nunca saem lesados das greves dos professores, Sra. Maria. Crescência!!! quem vai sair lesado é o partido da senhora que anda a prometer e a não cumprir.,

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2017: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.