O nú no Carnaval do Mindelo: um “pauladia” no preconceito

23/02/2015 07:59 - Modificado em 23/02/2015 07:59

Para além do que se viu nas ruas do Mindelo, o Carnaval de 2015 vai ficar na memória também como um Carnaval que promoveu a liberdade de expressão e deu uma “pauladia no preconceito”. O prémio de melhor música para a música “génio criador” que ficou conhecida como “Raboladia” foi um “pauladia” naqueles que tentaram limitar a liberdade de expressão do compositor Constantino Cardoso. Isto, logo numa música que pretendia mostrar o génio criativo dos mindelenses. A censura ficou na cabeça de quem a quis impor e, felizmente, o júri, que normalmente é cego e incapaz de distinguir o trigo do joio mostrou que, pelo menos, não é surdo e valorizou a música pela música e não pela vontade de muitos de trazerem a censura às letras das músicas para o nosso Carnaval.

O nu mostrou-se no Carnaval do Mindelo com delicadeza e criatividade e não “no nu pelo nu”. Os puristas engasgaram-se ao verem nas ruas morenas a desfilarem como as mães as puseram ao mundo ou quase. Um quase que se limitou a ténues pinturas. Mais uma “pauladia” no preconceito e uma “raboladiada” de qualidade e criatividade para o melhor Carnaval de Cabo Verde e, sobretudo, um colírio para os olhos.

Contra o preconceito, estiveram vários elementos da comunidade gay mindelense que desfilaram integrados nos diversos grupos e assumindo a própria sexualidade, não porque é Carnaval e ninguém leva mal, mas porque essa é a sua orientação sexual e não uma máscara de Carnaval.

Eduino Santos

Carnaval Nu

 

 

  1. Pedro Silva

    Mas é que realmente não vi nada que pudesse ser submetido a apreciação de censura; Há ainda pessoas que pelo egoísmo não deixam outras desenvolverem as suas habilidades mentais; Raboládia, sr. guardia, pauládia; Que mal há nisso? Eu apenas vi vontade de brincar e como é estória conhecida por todos os Mindelenses, aquilo caiu que nem uma luva; Agora é de bradar : Deixem o Mindelense brincar, quem vem é que deve adaptar.

  2. LINDAS

    Não vejo nú nenhum….vejo arte! E umas belas “telas”, dignas de uma grande exposição em um museu de arte contemporânea!

  3. mindlense

    Mas ha anos i ano atras vi !! Naoo foi 1vz 2015

  4. mindlense

    Mas ha anos i ano atras vi !! Naoo foi 1vz 2015

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2018: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.