40 mortos em rixa entre adeptos e polícia

9/02/2015 08:33 - Modificado em 9/02/2015 08:33
| Comentários fechados em 40 mortos em rixa entre adeptos e polícia

egiptoPelo menos 40 pessoas morreram este domingo no Cairo, Egito, em confrontos que envolveram a polícia e adeptos do clube de futebol Zamalek, avança a estação noticiosa Al-Jazeera. com o Ministério Público local. Números anteriores, divulgados pelo Ministério Público, davam conta de 22 mortos. 

Os confrontos ocorreram no primeiro encontro do campeonato egípcio aberto ao público depois de 2012, quando os estádios foram fechados ao público após 74 pessoas terem morrido durante um jogo de futebol.   De acordo com um governante egípcio, citado pela Agência France Presse, os confrontos começaram à porta de um estádio, situado na zona nordeste da cidade, depois de alguns adeptos terem tentado forçar a entrada no local para assistirem à partida. Reabertura sangrenta dos estádios O jogo entre o Zamalek e o Enbu decorreu com as bancadas ocupadas e não à porta fechada, como tem vindo a acontecer desde 2012, desde os episódios de violência ocorridos num estádio de Port-Saïd.  O ministro do Interior, no entanto, limitou o número de adeptos autorizados a entrar no estádio a 10 mil, e os bilhetes esgotaram rapidamente.

Os adeptos que fazem parte do grupo Ultra White Knights, desprovidos de bilhete, tentaram forçar a entrada no estádio para poderem assistir ao jogo, disse a polícia. Os agentes da polícia usaram gás lacrimogéneo para dispersar os adeptos, que, de acordo com a polícia e testemunhas, lançaram ‘verylights’. Devido a estes confrontos, o jogo começou com meia hora de atraso. Zamalek orientado por Jesualdo Ferreira Em dezembro, as autoridades egípcias decidiram autorizar o regresso, em número limitado, de espetadores a alguns jogos do campeonato da primeira divisão de futebol.

Em fevereiro de 2012, em Port-Saïd, num jogo entre o clube local Al-Masry e o Al-Ahly, adeptos do Al-Masry atacaram apoiantes da equipa adversária, provocando violentos confrontos que fizeram 74 mortos e centenas de feridos. O treinador português Jesualdo Ferreira assinou esta semana pelo Zamalek, onde substituiu um outro português, Jaime Pacheco.

cm.pt

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2018: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.