Lígia, Zé Pote e José Jorge transferidos para a Cadeia de São Martinho

9/02/2015 08:06 - Modificado em 9/02/2015 08:06

cadeia praiaNuma operação surpresa os reclusos Lígia, Zé Pote e José Jorge, a cumprirem pena na cadeia da Ribeirinha por tráfico de drogas, foram transferidos para a Cadeia de São Martinho, na ilha de Santiago. Na sexta – feira os referidos reclusos foram levados da Cadeia da Ribeirinha sob fortes medidas de segurança para o aeroporto Internacional Cesária, donde seguiram para a cidade da Praia com a cadeia de São Martinho como destino.

Mas dessa cadeia chegaram a Ribeirinha dois presos que este online, ainda, não conseguiu identificar. Um advogado próximo de Lígia Furtado disse a este online “ que todos foram apanhados de surpresa com a transferência. Os reclusos só souberam na hora. A própria direcção da cadeia de Ribeirinha na sabia da transferência “. A nossa fonte não conhece os motivos que estão por detrás da transferência mas crê que “ estão inseridas nas medidas anunciadas pelo governo a serem implementadas nas cadeias em relação aos condenados por tráfico internacional de droga”.

Desde a sua condenação em 23 de Outubro 2009 que Lígia Furtado. Zé Pote e José Carlos cumpriam a pena na cadeia de Ribeirinha em São Vicente. Lígia Furtado e Zé Pote tiveram no mês de Outubro uma licença precária por terem atingido um ¼ da pena e porque a direcção da Cadeia lhes atribui bom comportamento. Os três foram envolvidos, junto com o ex-director da Cadeia da Ribeirinha, Manuel Cândido, num esquema de favorecimento que acabou por ser arquivado por se ter provado que o processo resultou de denúncias falsas.

Os três foram condenados pelo Tribunal da Comarca do Sal a penas de prisão elevadas, uma delas a 25 anos, a máxima prevista no Código Penal cabo-verdiano.
A sentença condenou também outros quatro implicados a penas de prisão entre os 12 e os 24 anos, após terem sido provadas as acusações de tráfico de droga de alto risco, associação criminosa, lavagem de capitais e corrupção, crimes que então foram imputados aos arguidos. O julgamento começou a 08 de Junho de 2009 e durou quatro meses.

Na sequência da condenação o  Supremo Tribunal de Justiça (STJ)  ordenou a apreensão, a favor do Estado, de bens de cinco arguidos condenados por tráfico de droga estimados em mais de um milhão de contos .

  1. Agora ké côsa

    Agora ké côsa, Gang d’droga já bem juntá tud li na Praia né?

  2. Monteiro

    Isso tá a cheirar queimado.
    Jas descobri q gente t podê fji de são Martinho jas levas log. Esquema já t muntód.

  3. Alta Segurança

    Es bem podu na praia pes podi fugi más faxi, sima ivanildo fugi es dias! Cadeia di Sao Martinho kata oferece segurança pa criminosos. Sao Vicente dja da provas tudo es anus li mes ta consigui da conta di recado. Mas um vez contribuinte, além di paga kumida, agu, luz, lençol pa mantês na cadeia dja nu contribui ku passagem di avion. Ami coitadu um ka sta consigui si di praia pa bai ti djarmai pam bai abraço na amigos. Kel governo li é so xuxadera!!

  4. Leitor chatiado

    Nao vale a pena comentar. O jornal nao publica

  5. De Santa Cruz

    Foram transferidos para tentarem a sua sorte na fuga. Certeza que vão conseguir.

  6. Maria José

    Tinha que ser de surpreza. Mediadas de seguranca nao podem ser objecto de divulgacao. O advogado nao sabe o que quer dizer o termo “seguranca” e ainda por cima lidando com bandidos criminosos perigossissimos.

  7. CidadaoCV

    Pois é … Um “show of” para o inglês ver, depois de tantos indícios de corrupção generaliza envolvendo traficante e afins e o resto. Todas as vezes que vejo as fotos da CCP, fico a pensar:- Como é possível uma pessoa saltar de cima daqueles muros, mais a estrutura de arame farpado, com um AKM nas costas, sem ao menos apanhar uma torção num pé? Tratou-se de Spider Man ou de um Iron Man? Que Corrupção! …..

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2018: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.