Jihadistas queimam refém vivo

4/02/2015 08:03 - Modificado em 4/02/2015 08:03

jihadistasO Estado Islâmico (EI) divulgou esta terça-feira um vídeo da execução do piloto jordano que estava há um mês refém dos combatentes jihadistas. O militar da Jordânia foi queimado vivo pelos jihadistas. O grupo terrorista divulgou imagens nas redes sociais, mostrando Muath Al-Kasaesbeh a ser queimado vivo dentro de uma jaula. A informação foi avançada pela Al-Arabiya, canal televisivo dos Emirados Árabes Unidos.

Jordânia tentou negociar com o EI A Jordânia tinha vindo a fazer esforços para libertar o piloto numa troca de prisioneiros que envolvia uma mulher jihadista iraquiana, Sayida al-Rishawi, condenada à morte por terrorismo. O militar da Jordânia foi capturado a 24 de dezembro, após o avião de combate F-16 que pilotava se ter despenhado no norte da Síria, em território controlado pelos jihadistas. A última vez que Kassaesbeh apareceu vivo foi num vídeo do grupo extremista em que aparecia juntamente com o jornalista japonês Kenji Goto, cuja execução foi anunciada no sábado. Execução bárbara As imagens disponíveis do vídeo mostram a forma bárbara como os jihadistas executaram Muath Al-Kasaesbeh. Terão deitado combustível sobre o refém e deixaram um rastilho para fora da jaula onde o militar da Jordânia estava preso. O homem foi queimado vivo dentro de uma jaula.

Piloto foi “morto há um mês” A televisão oficial da Jordânia afirmou que o piloto jordano, que o grupo ‘jihadista’ Estado Islâmico afirma ter queimado vivo num vídeo divulgado esta terça-feira, foi realmente morto a 3 de janeiro.  Em Washington, o Presidente dos Estados Unidos afirmou que, caso seja verdadeiro, o vídeo mostra a “barbárie” do Estado Islâmico. “Se aquele vídeo for autêntico, é mais uma prova da crueldade e da barbárie daquela organização”, afirmou Barack Obama. O Presidente norte-americano apelou também para que a “vigilância e determinação” para lutar contra os ‘jihadistas’ sejam reforçadas.

cm.pt

  1. Djê Guebara

    Sim todos sintem condolencias e mizericordia a favor do piloto. pois tamben pensam cuantas vidas que el quemò com os bombardeamentos, Recordam bem a frase de João de Alva (Quem vai a guerra da e leva) Morto o cão acabou a raiva.

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2018: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.