Luís Tavares: inédita a afirmação da Ministra sobre a falta de liquidez no Governo

4/02/2015 07:31 - Modificado em 4/02/2015 07:31

Luís Filipe TavaresLuís Filipe Tavares, vice-presidente do MPD, diz que “pela primeira vez desde 2001, um membro do Governo assume publicamente que o Estado de Cabo Verde está praticamente falido”. Declarações estas, feitas em conferência de imprensa citada pela RCV em reacção às afirmações proferidas pela Ministra da Educação, Fernanda Marques, que disse ontem à RCV que “o Ministério não tem liquidez financeira” para satisfazer de forma imediata as reivindicações, nomeadamente, o pagamento do subsídio de carga horária, progressões e requalificações da classe docente.

O MPD considera grave o facto do país não ter liquidez financeira para honrar os compromissos assumidos com os professores. Luís Filipe Tavares afirma que se a falta de liquidez é um dos impedimentos que a Ministra da Educação apresenta para não cumprir com os prazos acordados com os sindicatos para as reivindicações da classe docente que ainda se encontram pendentes, recorre à retórica e pergunta também se não haverá dinheiro para outra necessidades”.

Na mesma óptica, Tavares diz que qualquer dia o Estado vai deixar de comprar medicamentos, não pagar os pensionistas e deixar de proteger os que precisam de apoio social do Estado.

O MPD reconhece a capacidade da Ministra em admitir a falta de liquidez no país, “situação que temos vindo a denunciar” mas, ao mesmo tempo, considera deselegante que Fernanda Marques tenha dito que a satisfação das reivindicações dos professores depende dos outros Ministérios.

Segundo Tavares, o país é gerido por dois governos. Um presidido por José Maria Neves e outro pela Ministra das Finanças, Cristina Duarte. Este afirma que Cabo Verde é um e a Ministra da Educação não pode passar a responsabilidade à sua colega das finanças.

Tavares diz ainda que o MPD não está a fazer nenhuma crítica irresponsável ao afirmar que no Ministério da Educação há sinais claros de incompetência, isto relembrando o caso que aconteceu na Escola Secundária Jorge Barbosa, onde a Ministra interveio directamente na nota de um aluno.

O MPD diz-se solidário com os professores e o sindicato ao anunciarem a greve e a manifestação.

  1. josé fortes

    A MINISTRA DA EDUCAÇÃO JÁ DEVIA ESTAR NA CADEIA SE O MPD E A UCID ESTIVESSEM A FAZER O TRABALHO DE CASA. OS ALUNOS DA 5ª CLASSE ESTÃO SEM LIVROS.

  2. DN

    MUITA COISA PRECISA MUDAR EM QUASE TODOS OS MINISTÉRIOS, MAS O GOVERNO FINGE QUE TEM CONHECIMENTO.

  3. AI OS POLITICOS...

    SEGUNDO ESTE GAJO, NO FINAL DO MÊS OS PROFESSORES NÃO VÃO RECEBER O SALÁRIO. CONCLUSÃO QUE ELE TIROU DAS PALAVRAS DA MINISTRA. AINDA BEM QUE MAIS DE 80% DOS PROFESSORES TÊM QUALIFICAÇÃO, LOGO CONSEGUEM FAZER A SUA INTERPRETAÇÃO. EM NOME DA POLITICA OUVIMOS CADA COISA!

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2018: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.