Fernanda Marques reage: “O Ministério não tem liquidez financeira“

3/02/2015 07:36 - Modificado em 3/02/2015 07:36

Fernanda MarquesO Sindicato Nacional dos Professores (SINDEP) e a Federação Cabo-verdiana dos Professores decidiram avançar para a greve na segunda quinzena de Fevereiro de 2015 seguida de manifestação. Perante este cenário de insatisfação da classe docente, a Ministra da Educação, Fernanda Marques, remete às questões financeiras afirmando que “o Ministério não tem liquidez financeira” para satisfazer de forma imediata as reivindicações, nomeadamente, o pagamento do subsídio de carga horária, progressões e requalificações.

A Ministra da Educação, Fernanda Marques, apela à compreensão da classe docente perante a conjuntura económica de Cabo Verde. A Ministra classifica o corpo docente como “uma classe profissional excepcionalmente extraordinária, que tem uma percepção muito forte dos seus direitos e que os sabe exigir, mas também dos seus deveres e dos equilíbrios macroeconómicos do país”, sendo o factor de ordem financeira e o aval dos outros ministérios motivo para a não resposta instantânea às reclamações da classe docente.

Fernanda Marques acrescenta que o Ministério da Educação não tem faltado ao cumprimento, mas sim solicitado o aumento dos prazos nas negociações com os sindicatos que considera condicentes com a própria situação do país. Marques assegura que o Ministério da Educação tem feito esforços para responder às reivindicações dos professores. Como prova do esforço e boa vontade, a Ministra disse à RCV que “conseguimos fazer entrar para o quadro todos os professores com cinco ou mais anos de serviço, estando a tramitar aqueles que têm três ou mais anos de serviço, fizemos um esforço financeiro de cerca de 106 mil contos relativamente a progressões numa lógica de justiça cronológica, relativamente ao ano da aquisição do direito. Em relação à redução da carga horária o mesmo esforço num total de 39 mil contos para subsídios por não redução de carga horária”.

Estes são os esforços feitos pelo Ministério da Educação porém, a greve e a manifestação apontada pelos dois sindicatos nacionais para a segunda quinzena do mês de Fevereiro dependerão da aceitação ou, como disse a Ministra, da percepção e consciência dos professores em aceitar ou não a justificação apresentada pelo Ministério da Educação que tem por base a conjuntura económica de Cabo Verde.

  1. Manuel Antonio

    Isso é pura brincadeira. Os professores estão nas mãos de sindicatos inoperantes e de um ministério que já percebeu, muito bem, com driblá-los. De tempos em tempos os sindicatos acordam. Aí, vem a ministra e outros responsáveis do ministério, apresentar um novo pacote de desculpas e volta tudo à dormência inicial.
    Agora a ministra vem fazer apelo ao patriotismo, consciência nacional e espírito de sacrificio dos professores.
    Isto só é pedido à nossa classe.

  2. Manuel Antonio

    A ministra está a tentar ganhar tempo. Ela sabe que, em breve, vai sair daí. Outro que venha cuidar desta fornalha. Entretanto, foi com ela que alguns professores tiveram direito a louvor, lavrado e publicado em Boletim Oficial, sabendo que de entre eles há gente a quem foi instaurado processo disciplinar.

  3. Santiago

    Caros(as) Professores(as) enquanto temos pessoas que não preocupem com o Sindicato e com os professores, como SINDEP e FECAP, o pais e os professores nunca mais terão um rumo próprio.
    Reparem pela lógica e verão que o Sindicato de Santiago, faz mais que os Dois Sindicatos Nacionais Juntos.
    A meu ver considero o SIPROFIS como o melhor sindicato de professores de Cabo Verde.
    Nesta linha de ideia sugiro a todos professores que se juntem ao SIPROFIS ou que façam parte do referido Sindicato.

  4. jorge rodrigues

    de imediato não, espera ai…são 5 anos de espera e isso nao e exatamente de iediato Sra Ministra.

  5. Maria José

    Ka tem liquidez porque Ministra tmá és cosa de ánimo leve. És reivindicacoes justas foi comunicode a Ministra há muito tempo e és tita bem desde vários anos atrás. Só que Ministra resolvé troxa de professores, ela ca fazê nada e agora kjal oiá ma cosa é dvera lea bem tenta resolvé. É por isso ki ca tem liquidez.

  6. Tony Gomes

    Mas, minha gente, o que é que os professores, uma classe privilegiada e com bom vencimento, estão a reclamar?

    É só ver o valor anual das reformas….. Vão mais é trabalhar

  7. Joao santos

    Se Cabo verde não andásse a pagar salários obscenos a tudo quanto ocupa postos de chefia talvez não tivessem tantos problemas de liquidez

  8. mateus

    A Sr Ministra do MED fez com que a oposição viesse a mídia dar uma ” chicotada” ao governo,que não tem respeito aos docentes enemas famílias caboverdianas que tanto esforçam para a educação dos seus educandos. Se a Sra ministra deu um prazo até 31/12/2014 para resolver todas as reivindicações da classe,logo deviam fazer o possível para que a verba constasse no Orçamento de Estado. Mas não. Preferem fazer que nem em 2010, quando assinaram um reajuste salarial nao inferior a 10%.

  9. mateus

    Continuando… digo que a classe docente está mais unida, e a forte presença na reunião do sabado passado no anfi-teatro da EICM em SV veio mostrar que não estamos dispostos abrir mãos dos direitos conquistados e que já não vamos voltar atrás e nem dar tréguas a esse Ministério que teima em fazer jogos de interesse. Mais .. vamos colocar o Estado de CV no tribunal.

  10. Jonas

    Estão a colocar na boca da ministra palavras que ela não disse. O MED não tem liquidez sim, mas isso não quer dizer que o país ou o MF não tem

  11. Jadir Rodrigues

    Senhores Professores

    Pensem bem antes de tomarem medidas precipitadas.
    A vossa classe é das que mais tem beneficiadas desde há muito tempo em relação a outras da Administração Publica.
    Eu, não sendo da Administração Publica, mas sim Privado, onde tambem os slarios vem estando sem aumentos, vendo, tanto o meu País, com o Mundo inteiro, com problemas tão grande e dificieis, que jhulgo não ser este o momento para precionar a quaisquer salarios ou outras medidas que apertam o Orçamento. E tenho o

  12. bocas

    esse governo é um exemplo de inconpetençia e de nepotismo e clientismo e amiguismo que afundaram o pais e com umas ministras sem solucão para os caboverdianos e para completar com uma ministra de finanças e que mas parece que o dinheiro do estado lhe pertence…. cristina duarte que comanda esse pais para o abismo profundo….estamos a beira da grecia e ela quer ir para bad para fazer o mesmo…abbreeem os olhos…greve……..2016 que venha rapido…..

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2018: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.