Navio Vicente zarpou inclinado

29/01/2015 08:05 - Modificado em 29/01/2015 08:05

antonio monteiro ucidA UCID levantou questões sobre a segurança marítima em Cabo Verde, tendo como exemplo o naufrágio do navio Vicente. “Nós temos como comprovar que o Vicente ao sair do porto da Praia tinha um adorno de cinco graus. Em nenhuma parte do mundo um navio zarpa de um porto com um adorno e ainda um navio das características que o Vicente tinha”, afirmou António Monteiro, presidente da UCID, relativamente ao nível de falta de vigilância nos portos, o que considera como uma “incúria”.

Para o MpD, na voz do seu líder parlamentar, Elísio Freire, acredita que existe um “caos institucional” a imperar no sector. “Perante uma frota envelhecida, falta a regulamentação, falta a fiscalização, a monitorização e a liderança no sector marítimo cabo-verdiano e o caos institucional não pode imperar”, sintetiza Freire. Acrescenta ainda que “ninguém sabe quem manda em quem, o Governo diz uma coisa, as autoridades dizem outra e os capitães de diversos barcos dizem outra coisa ainda”.

Para Monteiro, devido às características do mar do país e da sua geografia, deveria ser dada uma atenção especial ao mar. E, com as situações que se têm verificado, afirma que isto não tem acontecido. Diz que o Governo tem investido mas sem chegar aos resultados pretendidos. Do mesmo modo, questiona o investimento no navio Guardião e que está parado no cais.

  1. José Tavares

    A verdade é que a sul do país não existem estruturas nem meis de autoridade marítima. A estrutura portuária é também apêndice da sede fora de Santiago e, por sinal, as coisas vão continuar assim pois em Santiago há um adormecimento total em relação ao mar onde se necessita de escola, autoridade e autonomias de actuação!!! Há quanto tempo não existe um Capitão de Portos que trabalha para sotavento , por exemplo???

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2018: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.