A AMP vai entregar duas embarcações de busca e salvamento à Guarda Costeira

27/01/2015 07:39 - Modificado em 27/01/2015 07:39

Barcos-salvamentoAs duas embarcações de busca e salvamento doadas pela cooperação espanhola em 2010 serão entregues à Guarda Costeira no próximo mês de Fevereiro, garantiu o Presidente da AMP, António Cruz Lopes a este online.

Em 2010, Cabo Verde recebeu da cooperação espanhola, duas embarcações de busca e salvamento, isto no âmbito do projecto VTMS – Centro de Controlo de Tráfego de Navios, confirma o presidente da AMP, António Lopes. No entanto, durante quatro anos essas embarcações nunca tiveram qualquer utilização.

Questionado pelo NN sobre a não utilização das embarcações, o Presidente da AMP, António Cruz Lopes, defende que na altura, a marinha não tinha meios para os pôr a funcionar e não havia técnicos qualificados. O mesmo garante que as duas embarcações adquiridas pela cooperação espanhola, não têm condições para enfrentarem o mar revolto, por isso, se fossem utilizadas em naufrágios e no caso do navio Vicente, estas serviriam apenas para apoiar.

No entanto, o mesmo adiantou ao NN que em Novembro do ano passado, a AMP e a Guarda Costeira acordaram a afectação das duas embarcações que até agora continuam sob a tutela da AMP, Agência Marítima Portuária.

O mesmo garantiu ao NN que neste momento, está em curso o treino do pessoal e que a AMP está a ultimar o processo e que em Fevereiro, a agência fará a entrega das embarcações à Guarda Costeira.

De acordo com José Rodrigues, marinheiro há mais de 20 anos, o IMP promoveu um concurso público de recrutamento de técnicos em 2010  destinado a operações nas embarcações “Ilhéu dos Pássaros” e “Ponta Nhô Martinho”. No entanto, o contrato assinado pelo pessoal seleccionado e pelo IMP, actualmente AMP, não se efectivou e as embarcações que poderiam estar ao serviço de Cabo Verde de modo a evitar solicitação de ajudas internacionais, continuam a apodrecer sem qualquer utilização.

José Luís estranha a não utilização das duas embarcações que se encontram paradas no Complexo de Pescas da Cova de Inglesa , bem como a entrega das embarcações à Guarda Costeira, visto que, na sua opinião, esta não tem como função a busca e o salvamento marítimo.

José recorda os vários acidentes nos mares de Cabo Verde e sublinha que o país não dispõe de meios de busca e salvamento enquanto que as duas embarcações por nome de “Ponta d´Nhô Martim” e “ Ilhéu dos pássaros”, que deveriam estar ao serviço dos cidadãos, encontram-se paradas em São Vicente e quando acontecem acidentes, o Governo solicita ajudas internacionais.

  1. jose de pina batista

    A noticia nem deveria ser dada neste momento, pois, encerra uma irresponsabilidade grande e confirma mais uma vez que o Ministerio do Mar nas maos daquele arrogantezinha Sara, esta enfestada de uma certa inercia. O Jose Luis, que suponho ser o da UCID, mas que e quadro da ENAPOR, disse que estranha o facto das 2 embarcacoes nao terem sido entregues a Guarda Costeira. Sr. Primeiro Ministro deixa de casmorrico de entregar a governacao de sectores senciveis nas maos de mulheres

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2018: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.