Familiares dos náufragos indignados

19/01/2015 07:54 - Modificado em 19/01/2015 07:54

TuninhaEm entrevista à TCV, os familiares das vítimas do navio Vicente consideram as declarações do capitão dos Portos de Sotavento, João de Deus Carvalho, uma forma para desviar as atenções das autoridades e apelam a profundas investigações e à responsabilização dos culpados.

As declarações de João de Deus Carvalho, capitão dos Portos de Sotavento, não caíram no agrado dos familiares dos náufragos que consideraram que as mesmas só servem para desviar as atenções das autoridades e apelam para que se façam sérias averiguações e se chegue à responsabilização dos culpados.

Em declaração à TCV, Cirilio Cidálio, irmão do motorista Pedro Cidálio, vítima do navio Vicente, mostrou-se indignado com as afirmações de João de Deus Carvalho, capitão dos Portos de Sotavento.

Para o entrevistado, as declarações proferidas pelo capitão dos Portos de Sotavento podem desviar as atenções para que a culpa morra solteira.

Cirilio Cidálio reconhece que a culpa não recai sobre a Instituição que o capitão dirige, mas apelou ao mesmo que se posicionou na defesa da Instituição, para que deixe as autoridades trabalharem no sentido de apurarem os factos e, se for o caso, sacarem a responsabilidade dos culpados.

Uma outra preocupação dos familiares é a protecção dos filhos menores dos náufragos no sentido de saberem se havia um seguro de protecção dos tripulantes do navio Vicente.

Cirilio diz que o irmão deixou quatro filhos, sendo três menores e que, de momento, encontram-se sob a responsabilidade dos familiares. A companhia não disponibiliza informações sobre a existência de um seguro de protecção.

Os familiares querem que seja feito um inquérito e caso as autoridades entenderem oportuno, as famílias dos náufragos mostram-se dispostas a fazerem parte do mesmo.

Os familiares querem que sejam apuradas as razões que levaram ao afundamento do navio Vicente na noite do dia oito de Janeiro e que sejam tomadas medidas de responsabilização dos culpados.

  1. atento s.vicente

    Eu ouvi na TCV a conversa do Capitao dos Portos de B. fiquei chateada com a conversa dele, querendo chamar de mentirosos os tripulantes que deram entrevista sobre a carga do n/M Vicente. Ele confirma que o navio não tinha carga a mais, será que ele estava no cais quando o navio saíu? será que ele confirmou a carga? eu desafiaria ao sr. Capitao dos P. de B. a ir ao fundo do barco confirmar se o navio estava com carga a mais ou não. Só assim ele poderá falar com certeza. ADMITE SR. CAPITAO !!

  2. Maly

    Falta de respeito para os familiares e ainda pior chamar de mentiroso quem foi resgatado com vida e sofreu na pele as consequências dum erro fatal que pelo vistos poderia ser evitado. É chamar de mentiroso amigo da minha família que foi resgatado com vida e no momento que passava esta entrevista na TCV ele ficou incrédulo e eu estava presente quando ele assistia! É zombar das minhas amigas que ainda o irmão de uma e a irmã de outra não foram resgatados! 🙁

  3. CHUPETINHA

    Apoio financeiro ou se o barco tinha seguro as familias e outras pessoas lesadas devem solicitar informações ao Armador do N/M Vicente e deixem de tretas, em vez de preocuparam com a busca se ainda há algo a ser cavérico reconhecido. Vicente já era agora é so para rezar e deixar os 12 espiritos descansarem em paz.

  4. apoiante

    Aposto que a policia marítima estava num boteco qualquer a beber ao invés de estar no cais a fazer o seu trabalho

  5. rss

    Eu quero crer q tanto esse Capitão dos Portos como muitas outras pessoas q viram “Vicente” afundar-se viram o seu sono a desaparecer e começaram a delirar.
    Sabêm pq? Será pcausa da eventual carga excessiva q levou o draft do barco a submergir o seu nível de segurança? Será pcausa d’alguma carga q ñ estaria peada q terá levado a tombar para o bombordo o navio? Essas e outras questões têm q ser respondidas. A negligência q causou a morte desses conterrâneos tem q ter culpado(s). Cadeia c/ eles! Já!

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2018: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.