Professores e funcionários denunciam estado de degradação

15/01/2015 07:48 - Modificado em 15/01/2015 07:48

Polo-educativo-Monte-Sossego-260x195Depois de diferentes reivindicações por parte dos pais e encarregados de educação, é a vez dos professores mostrarem o próprio descontentamento quanto ao estado de degradação da Escola de Monte Sossego Pólo número 9.

Toda a comunidade escolar do pólo de Monte Sossego, conhecida vulgarmente por Escola Velha, teme pela própria segurança. Muitos já dizem que quando saem para trabalhar não sabem se regressam a casa porque já não há como remendar mais a estrutura da escola, pois encontra-se no limite e, a todo o momento, o tecto pode cair por cima dos alunos, professores ou funcionários.

A porta-voz Fernanda Duarte avançou que estiveram com o Delegado e que o estado de degradação da escola é do conhecimento da Ministra da Educação. Os deputados também conhecem a situação porque a escola lhes serve para se reunirem.

Segundo a porta-voz, as autoridades competentes estão a par da situação mas a resposta recebida até agora é a falta de verbas para arcar com as despesas do edifício, por isso, deverá aguardar. “A situação da escola já se mostra insustentável”, desabafa a entrevistada.

Os professores não aceitam mais demoras, pois a vida de quem frequenta a escola está em risco. A qualquer momento pode acontecer um acidente. As paredes encontram-se em ruínas, os telhados a cair. Os professores chegam para dar aulas e encontram as salas inundadas de necessidades fisiológicas, preservativos, animais dentro do recinto, situações inaceitáveis.

Um dos guardas conta que a sua vida está em perigo, a escola não tem qualquer segurança, são ameaçados. Para o guarda, a vida de todos os que entram na escola está em risco, pois encontra-se muito obsoleta. O mesmo conta que ao reparar um dos tectos de uma sala, caiu e ficou ferido, pois os tectos não suportam o peso e o problema só se resolve com a substituição dos tectos.

Pais e encarregados de educação fizeram várias manifestações contra o estado de degradação da escola e os riscos de segurança que isso comporta para os seus educandos. Depois de várias contestações, em Outubro de 2014, o Delegado de Educação de São Vicente, Anildo Monteiro, avançou que estava a ser preparado um plano de actuação, portanto, a escola iria receber obras faseadas para debelar as dificuldades enfrentadas e criar melhores condições de segurança à comunidade escolar.

Na impossibilidade de deslocar os alunos, a obra de requalificação realizar-se-ia de forma faseada mas, até agora, a escola continua sem qualquer obra.

 

 

 

 

 

 

 

  1. Lela Lopes

    Mas que vergonha, uma escola muita frequentada e o governo não faz nada para melhorar a situação da escola!

  2. SUGESTÃO

    SEM PRETENDEU TIRAR AS RESPONSABILIDADES DO MINISTERIO…PORQUE NÃO CRIAR UMA ASSOCIAÇÃO DOS EX ALUNOS DESTA ESCOLA PARA APOIAR COM INICIATIVAS QUE, QUANTO A MIM, MUITO TEM FALTADOS AOS GESTORES DESSA MINHA ANTIGA ESCOLA?

  3. Bate Coronel

    Eu como ex aluno estou de acordo a ajudar na reconstrucao da minha querida escola, aqui vai o meu Email para qualquer conctato Humbertobate@homail.com

  4. helder

    como ex aluno, também gostaria de participar num projecto do tipo. para começar poderia criar uma pagina no facebook e consoante a aderência projectar acções futuras

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2018: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.