CMSV destrói casas transformadas em retretes

25/07/2012 00:18 - Modificado em 25/07/2012 00:18

Os moradores do largo do Mini Sobejo, em Fonte Francês, estão satisfeitos com a remoção de duas habitações desabitadas que serviam de retrete pública. Os residentes viram ruir dois espaços que serviam como depósito de lixo, mas também utilizados por alguns para fazerem as suas necessidades fisiológicas.

 

Em Fonte Francês, no largo do Mini Sobejo, haviam duas residências que estavam a estragar a imagem dessa rua. As habitações serviam para depósito de lixo e casas de banho, o que levou os residentes a contactar a CMSV e posteriormente a Delegacia de Saúde para desinfestar o local. Por sua vez a CMSV deslocou-se ao bairro para inteirar-se da situação que culminou no desmantelamento das duas casas.

Para os moradores de Fonte Francês a história mudou de figura, porque reconquistaram o seu sossego. Segundo Rosa Silva “o mau cheiro que vinha dessas casas perturbava o nosso dia-a-dia, o lixo que existia no interior constituía uma grande fonte de mosquitos. Mas ,agora estou aliviada e contente por terem destruído um espaço que apenas trazia males para a saúde das pessoas ”.

Por seu lado Mário Rocha e Jaime Soares partilham da opinião de Maria, mas acrescentam que “agora temos um ambiente saudável no largo, porque a CMSV fez um bom trabalho ao derrubar as duas retretes públicas.” De acordo com os residentes o largo do Mini Sobejo ganhou uma nova imagem, porque a contestação das pessoas fez desaparecer o ponto negro do bairro.

  1. Nadia

    É isso aí, Nesse local é tipico o cheiro nauseabundo quando se passa por lá. Ha muita gente sem casa de banho e porcos nessa zona. CMSV deveria construir um posto sanitário nessa zona.

  2. ami

    quando eh que os nossos patricios comecam a ser um pouco mais civicos?

  3. ami

    Pelos vistos ha necessidade de uma retrete publica. Sou de opiniao que a camara deve construir uma e cobrar aos utentes uma taxa pelo uso. Essa taxa pagara para a sua manutencao!

  4. Fidelio Medina

    Quando e que chegam a Cruz de João Évora em S.Vicente mesmo logo a entrada virada para a direita para quem vem da cidade. Casa em construção há mais de 20 anos, semi abandonada, com frequentes visitas de indivíduos suspeitos durante a noite, causando medo e desconfiança permanente aos residentes da redondeza. Que tamanha insegurança?

  5. Francelino Andrade

    PARABENS A CMSV,ESPERO Q NAO FIQUE POR AI,A CMSV DEVERIA FAZER ISTO EM TODOS OS PONTOS DA ILHA ONDE EZISTEM CASOS SEMELHANTES,UM ABRAçO

  6. Francelino Andrade

    PARABENS A DELEGACIA DE SAUDE EA CMSV,PELO BOM TRABALHO,AGORA è SEGUIR EM FRENTE E DEMOLIR TODAS AS RETRETES”CASAS ABANBONADAS”PARA HAVER MAIS SAUDE EM SV,UM ABRAçO DESDE TERRA LONGE

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2017: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.