Mãe de recém-nascido com doença rara e grave aguarda por evacuação

8/01/2015 00:19 - Modificado em 8/01/2015 00:19

COOKIE2Há vinte e um dias que a filha de Leila Delgado nasceu no Hospital Baptista de Sousa com uma doença grave e rara. Segundo a progenitora, a pequena Vanderleia nasceu com problemas de deformação nos intestinos, uma doença chamada gastrosquise e aguarda decisão dos médicos em Portugal para ser evacuada e ser submetida a tratamento. 

Leila Delgado de 31 anos é mãe pela quinta vez. No mês de Dezembro deu à luz uma menina a quem chamou Vanderleia. A mãe encontra-se desempregada e o pai é lavador de carros. Leila está muito preocupada com a saúde da filha e diz que lhe foram solicitados vários documentos para efeito de evacuação e que já estão prontos e entregues no HBS.

A filha de Leila Delgado nasceu com um doença rara: “gastrosquise”, ou seja, a criança apresenta os intestinos fora do abdómen. Leila conta entristecida que desde que o bebé nasceu está sempre na incubadora, ligada ao soro, e que até agora nunca teve o prazer de pegar na filha ao colo como as outras mães.

A mesma realça que tem sido muito bem tratada no Hospital Baptista de Sousa, mas encontra-se aflita e muito preocupada, porque a filha estava muito esperta, mas neste momento notou uma baixa.

Leila diz que os médicos nunca lhe explicaram a situação da filha, apenas lhe disseram que a pequena nasceu com uma má formação nos intestinos que ficaram de fora. No entanto, Leila apela às autoridades competentes para apressarem a evacuação da filha porque, segundo os médicos, a menina corre sérios riscos de vida.

A mãe diz temer que a autorização chegue tarde e a filha não tenha oportunidade de ser evacuada, como aconteceu com outros bebés nascidos neste hospital.

Leila explicou a este online  que  durante as consultas pré-natais os médicos nunca disseram que a filha tinha o problema, pois a gravidez correu bem e a criança nasceu de parto normal. Não esperava pela situação, pois ficou surpreendida.

“Só desejo que tudo corra bem e que a autorização para a evacuação para Portugal chegue a tempo para poder tratar da minha filha” desabafa a mãe aflita e sedenta de boas notícias.

Contactámos o Hospital Baptista de Sousa para se pronunciar sobre o caso, mas não foi possível, pelo que aguardamos a ligação por parte da direcção clínica.

 

 

 

 

  1. Fiat Lux

    “Mãe pela 5ª vez é desempregada e pai é lavador de carros”. Não têm noção da responsabilidade que uma criança representa para a sociedade. Pensam que os filhos são deles e pronto. Sem noção, vão contribuindo para o aumento da pobreza, pois esses filhos não terão uma alimentação minimamente equilibrada e o acompanhamento necessários dos pais e teremos, mais gente a engrossar a fila dos coitados ou das feridas para a sociedade. Sou a favor do controlo da natalidade por parte do Estado.

  2. Anete Vital

    “… controlo da natalidade por parte do Estado” – Isso não é pedir demais e seria interessante figurasse como preferencial na agenda de trabalhos do Ministério da Juventude que, de parceria com o da Saùde, debruçase na questão.
    Mais filhos, mais miséria, menos educação, infelicidade. Os chineses viram isso hà décadas e sabemos o resultado. Nem é preciso citar tal ou tal partido para culpar quem Governo pelo estado da situação.

  3. have mercy. is not the bay fault!

  4. criola dsoncnte

    comentario ignorante de quem katem k faze sr fiat lux ,e ne momento de critica mas sim de isda esse mae e k como qualquer mae te preocupod k se filha !!!!
    haja paciencia pe atura gente moda boce cred

  5. ID

    Control de natalidade por parte do estado? e responsabilidade?
    estado te ajuda a fazer control (prevenção) e não só, mas se estas a pedir o estado para castrar …
    MUITO OBRIGADO DEMOCRACHINA.

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2018: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.