Ausência da Banda Calcinha Preta deixa os populares indignados

3/01/2015 00:22 - Modificado em 3/01/2015 00:22

CALCINHA PRETA 2A Banda Calcinha Preta, grupo brasileiro esperado com entusiasmo pela população do Mindelo, não conseguiu pisar os palcos da Rua de Lisboa, no dia 31 de Dezembro, conforme o anúncio da Câmara Municipal de São Vicente. Os motivos da ausência da banda estiveram ligados com a impossibilidade de transporte. Os milhares de pessoas que aguardavam com expectativa a actuação da Banda Calcinha Preta mostram-se indignados.

 

A Câmara Municipal de São Vicente pretendia, na madrugada do primeiro dia do ano de 2015, brindar os mindelenses com a actuação do grupo musical Calcinha Preta. A tão esperada actuação do grupo acabou por não acontecer devido a motivos de transporte

Embora a escolha do grupo não agradasse a uma boa parte das pessoas, a Rua de Lisboa estava completamente cheia de pessoas que aguardavam com expectativa a actuação da banda Calcinha Preta. Para muitas pessoas, os motivos que levaram o grupo a não participar deveriam também ser os motivos para que a Câmara Municipal pensasse em trazer ao palco os grandes artistas nacionais.

Caló Neves diz que aguardavam com emoção a actuação do Calcinha Preta, mas os outros grupos acabaram por divertir muito mais o público presente na Rua de Lisboa. Caló acrescenta que a não actuação do grupo deve-se a mais uma das incompetências da TACV.

Na opinião de Carlina Conceição, Calcinha Preta é um grupo “azarado”, porque pregou uma partida ao público no Festival da Baía das Gatas e só veio actuar no dia seguinte ao da sua actuação e voltou a faltar no primeiro dia do ano. Para a entrevistada, a organização deveria anunciar com antecedência a indisponibilidade do grupo e não deixar as pessoas a aguardar com expectativas e ainda prometer que o grupo iria actuar no dia seguinte às 23 horas da noite.

Muitos populares deslocaram-se à Rua de Lisboa para ver o tão esperado grupo brasileiro Calcinha Preta que acabou por não chegar à ilha de São Vicente.

Segundo o Vereador da Cultura da Câmara Municipal, Humberto Lélis, motivos de transporte e de fronteira foram as razões pela não comparência da banda Calcinha Preta, embora já tivesse recebido 50 por cento do cachet acordado.

  1. blim blim

    hahhaha, ninguem ti te leva ilha do kok e bafa a sério, nem na primer dia do ano. tambem, cre so kok e bafa e riola, traboi nada.

  2. CidadaoCV

    Pois é … O público só não foi mais “enérgico” nas reclamações por era de “graça”. Mas quanto custou esta “bobeira” deste bando. Não fui á rua de lisboa, mas quem lá esteve até as 4 horas de manha á espera, divertiu-se imenso com os grupos locais. Mas o pior de tudo, é que desde cedo a CMSV já sabia que o bando não iria actuar. Porquê deixar o público na expectativa até as 4 h de manha, e inventar outra mentira? … Digam agora quanto dinheiro o bando sacou á CMSV.

  3. vanina baptista

    e muito bem feito que tanto pobresa que temos em cabo verde muitos pessoas passando fome sem luz sem agua sem estrada e a camara gastando milhoes trazendo grupos de fora enquanto temos bons artistas nacionais; eu moro na zona de ribeirinha albergo;vivemos numa escuridao;nao temos luz nao temos agua nao temos estrada vivemos com medo de ser assaltado pelos bandidos mas a camara nao toma nem uma providencia porque deveria preocupar mais com a pobresa do que estar gastando milhoes nos grupos estrangeiros

  4. lucilene margarte

    Os sanvicentinos criaram a primeira piada do ano 2015: Agora o nome do vereador de cultura da Camara de São Vicente é HUMBERTO CALÇINHA PRETA.

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2018: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.