MpD pede esclarecimentos sobre fundo para situações de emergência

12/12/2014 07:52 - Modificado em 12/12/2014 07:52

olavo correia 4Olavo Correia, vice-presidente do MpD, diz que em 1998 foi criado pelo Governo um Fundo Especial para a Estabilização e Desenvolvimento para fazer face a situações de emergência, calamidades ou secas permanentes. E este fundo, como explica, era alimentado com cinco por cento das receitas do Trusfund. Pelas contas de Correia, deveriam estar cerca de 250 mil contos na conta.

E, por isso, pede explicações ao Governo sobre esse fundo. “Saber em primeiro lugar o montante exacto que está neste fundo, qual a utilização que está a ser dada a este fundo tendo em conta a situação da ilha do Fogo”, como questiona Correia. Para Olavo Correia, deveriam ser capitalizados outros fundos para ajudar o Fogo, mas cerca de 250 mil contos devem estar no fundo hoje “obrigatoriamente se a lei estiver a ser cumprida”.

Em entrevista à RCV, a Ministra das Finanças Cristina Duarte confirma a criação do fundo. Mas afirma que “nunca foi capitalizado nem na década de 90 nem nesta década”. Explica que “a nível do orçamento sempre inscreveram outros instrumentos de intervenção caso fossem confrontados com calamidades e catástrofes. “E como devem entender, o Governo deve ter mais do que um instrumento para poder intervir”, sublinha Duarte.

“O fundo existe juridicamente mas na prática não existe”, conclui Duarte.

  1. PAXENXA

    Este Olavo não toma juizo!Até esta ainda não reparou e percebeu que o Governo lhe menospreza e não lhe dá cavaco as suas provocações.A questão do Trust Fonds a Ministra deu a comunicação porque ignora o MPD por um fundo nunca capitalizado desde sua criação.Os trabalhadores da TECNICIL precisam de explicam sobre o salário em atraso e outros….

  2. Ana Barreto

    O MPD está a brincar com a inteligência dos caboverdeanos, porque como o governo desse partido criou fundo de emergência se nem tinha dinheiro para pagar funcionários? Agora terão de explicar o valor desse fundo, onde colocaram o dinheiro e como arranjaram dinheiro para o fundo. O MPD, a UCID e PR perderam uma grande oportunidade de apoiar as populações do Fogo. Entraram num beco sem saída ao não aprovarem o 0,5 no IVA, agora aparece o Olavo com lengalenga.

  3. Macinha

    Esse Valter de Brito devia preocupar seriamente com a noticia e nao fazer piadas. Nao fica bem a uma pessoa que candidata a deputado de uma Nacao

  4. Silvério Marques

    Os comentadores não sabem que o dinheiro das privatizações foram metidas numa conta no estrangeiro a prazo em dólares, no valor de $100.000.000, que rendem em juros cerca de $ 3.500.000 dólares por ano. Deste montante e de acordo com a lei devia-se tirar 5 % para alimentar este Fundo, que deveria ser utilizado em situações como estas. Em 2003 havia neste fundo 70.000 contos. A verdade é que o PAICV como disse que encontrou os cofres vazios, custa-lhe admitir que havia todo este dinheiro.

  5. Silvério Marques

    O Governo do PAICV, como acontece muitas vezes, não só não alimentou o fundo a partir de 2003, como gastou todo o dinheiro que lá estava. Os comentadores PAXENXA E ANA BARRETO não estão informados e logo numa prova de arrogância falam daquilo que não sabem. Todo o arrogante fala daquilo que não sabe para tentar enganar os ignorantes.

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2018: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.