Alcides Graça: “O PAICV vai passar o momento eleitoral com distinção“

12/12/2014 07:26 - Modificado em 12/12/2014 07:26

alcides_graca6O Presidente da Comissão Política Regional do PAICV em São Vicente garante que estão criadas todas as condições para que as eleições internas do partido possam correr na normalidade. Já estão identificadas as assembleias de voto, constituídas as mesas, já têm os cadernos eleitorais oficiais. Até agora, afirma, toda a campanha interna tem decorrido normalmente com cada núcleo de apoio a fazer o próprio trabalho.

Estas eleições são consideradas importantes pelo líder do PAICV em São Vicente. “Estas eleições são marcadas não só pelo carácter histórico mas também pela responsabilidade do que vamos escolher”, diz Graça. Isto é, são importantes, seja porque, pela primeira vez, vai ser escolhido um líder de um partido de forma directa pelos militantes seja por estarem a escolher não só o líder do partido, como também o próximo candidato a primeiro-ministro, pelo PAICV.

Nesta corrida, a preocupação do partido centra-se nas marcas que uma eleição do tipo podem trazer. Mas Alcides diz acreditar que os militantes estão maduros e que o desejo é que todo o processo possa decorrer na normalidade e sente que “vão conseguir passar este momento com distinção”. Como revela, a CRP optou por um distanciamento das candidaturas, “para depois preparar o dia seguinte”.

Segundo Graça, os militantes estão tranquilos sobre o processo. E esta tranquilidade é confirmada pela expectativa que os militantes têm em relação ao momento de saberem quem irá dirigir os destinos do partido. Por outro lado, acompanham o momento com tranquilidade, com o desejo de que tudo possa correr da melhor forma. Dos três candidatos, ainda há a certeza de que qualquer um que for escolhido poderá fazer um bom trabalho. “Zé Maria [é um líder difícil de superar, mas acho que qualquer dos três têm condições para liderar agora”, diz Maria Rita Sequeira. E há um desejo de continuidade do trabalho realizado por José Maria Neves. E neste sentido, João Tavares diz que “quem vai entrar tem que dar continuidade ao trabalho”.

As eleições estão marcadas para o próximo domingo, 14 de Dezembro.

  1. DN

    Estou a rezar para que as eleições ocorrem com a maior transparência possível. Se assim não acontecer, o PAICV poderá dividir. Os militantes devem pensar nesta questão, pois muitos não estão a respeitar as regras democráticas. Por favor deixem os militantes fazer as escolhas livremente; evitem “boca de urnas”; evitem a permanência de pessoas próximas das assembleias de votos, … VIVA A TRANSPARÊNCIA.

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2018: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.