Mãe de criança espera conseguir uma prótese para o filho

2/12/2014 07:27 - Modificado em 2/12/2014 07:27

criança com desigualdade nas pernasHá três anos que uma criança da zona de Ribeira de Vinha vive com uma deficiência numa das pernas. A perna esquerda da criança é mais curta que a direita e provoca muitas dores e a mãe aguarda na esperança de poder conseguir uma prótese para o filho.

 

Ana Delgado, mãe da criança conta que aos 14 anos o filho começou a queixar-se de muitas dores numa das pernas alegando que tinha caído na sequência de uma brincadeira. A mãe que reside na zona de Ribeira de Vinha conta que se deslocou várias vezes ao banco de urgências do Hospital Baptista de Sousa a fim de tratar das frequentes dores nas pernas do filho. Feito o RX, os resultados não acusaram qualquer anomalia, daí que lhe receitaram alguns medicamentos e recomendaram que aplicasse água morna com sal na zona onde provocava dores.

Preocupada, a mãe diz que na altura, o filho não recebeu a atenção devida porque só depois de se ter deslocado várias vezes ao hospital é que o filho foi internado e só depois de três semanas do internamento é que foi submetido a uma cirurgia na perna. A mãe acusa o hospital Baptista de Sousa de não atribuir os devidos cuidados e de não ter descoberto atempadamente a infecção nos ossos, motivo das dores e da diminuição do tamanho da perna da criança.

Agora, com dezassete anos, Ana diz que o filho não consegue andar normalmente, porque a infecção provocou uma diminuição na perna. Ana acredita que as condições da perna do filho poderiam ser outras caso tivesse recebido melhor tratamento por parte do hospital.

Neste momento, o filho de Ana aguarda que a perna atinja um tamanho máximo de crescimento para ser submetido a mais um tratamento. Ana aguarda ansiosa que o filho possa vir a conseguir uma prótese que virá ajudar a caminhar melhor, diminuindo assim as suas dores.

Em consequência da diminuição da perna, a mãe teme que o filho venha a sofrer de problemas de coluna devido à inclinação quando caminha.

  1. migranha

    Hummmm !! quanto tempo passo % o facto eo atendimento pelo especialista??

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2018: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.