Horas de angústia e desespero: quando só resta…Deus e o feixe de vime

24/11/2014 07:18 - Modificado em 24/11/2014 07:18
| Comentários fechados em Horas de angústia e desespero: quando só resta…Deus e o feixe de vime

NN apresenta-lhe o filme escrito de um dia de angústia , desespero , raiva, dor , impotência   e sobretudo de fé : uma fé que nos fez povo e nação ; um desespero e raiva  que virou perseverança que nos levou a vencer a fome quando nos condenaram a morrer a fome  : uma dor que desatinou doendo quando nos negaram o pão e a liberdade e pegamos em armas por pão , dignidade e liberdade para ser povo e nação .Momentos que temperaram o nosso querer ,momentos que nos transformaram no feixe de vime que somos quando enfrentamos as adversidade que fazem parte da nossa história  . E ontem a nação respondeu  como um feixe de vime , unido para não ser quebrado : nem por um vulcão que faz parte da nossa vida e dos nossos medos . Vulcão  que  pode tragar as nossas estradas , as casas , os campos de café e as vinhas  , mas não transformará  em pó a nossa vontade de erguer  construir tudo de novo .

 

Vulcão do Fogo em erupção: populares abandonam Chã das Caldeiras
As  actividades sísmicas do  Vulcão do Fogo  começaram por volta das 20 Horas e a erupção  aconteceu as 10 de Domingo, de acordo com uma informação avançada pela RCV. O moradores de Chã das Caldeiras disseram a RCV que por volta das 20 horas receberam uma alerta dos serviços de monotorização de sismos sedeado em São Vicente, tentaram contactar com o o Serviço de Protecção Civil e Câmara Municipal  dos Mosteiros e não obtiveram respostas, por isso o plano de emergência não foi activado.

De acordo com o repórter do RCV no terreno as populações dizem-se abandonadas e mediante o aproximar das lavas começaram a abandonar Chã das Caldeiras tentando salvar o que for possível. Existem crianças, homens e mulheres á beira da estrada, à espera de auxílio. Às 11h 45 a ajuda ainda não tinha chegado as pessoas-

De acordo com o geólogo ouvido pela RCV a erupção começou na entrada Sul do vulcão e existe o risco de uma nova erupção na zona norte. O referido geólogo diz que tudo indica que está operação é mais grave do que a de 1995.

Ministra da  Administração interna confirma a erupção atingiu o  Nível 3
Marisa Morais, Ministra da administração interna confirma erupção de Nível 3, confirmou a RCV que a erupção é de nível 3.” Temos uma situação de com alguma gravidade. E estamos atentos porque a situação está evoluir muito rapidamente. “ E explica “ de manhã estravamo no nível 1 e estamos já no nível 3 “. Por isso se prevê que a situação seja mais grave do que a erupção de 1995.

FIR Oceânica do Sal: Os voos  vão ser desviados da rota
O presidente do Conselho da Administração da ASA , disse a RCV que a FIR Oceânica do Sal   vai emitir um comunicado pedindo aos aviões   que no seu plano de voo mudem as rotas para Oeste . De acordo com Mário Paixão a situação é de alerta desde está manhã , tendo em conta que a erupção está a provocar fumo que já atinge  15 mil pés. Informou também que o aeródromo de São Felipe continua aberto ao trafego aéreo e hoje de manhã foram realizados dois voos comerciais

 

Marísa Morais: “Há algum pânico mas a situação está sob controlo“
A Ministra da Administração Interna disse a RCV que existe algum pânico no terreno mas que a situação está sob controlo e que já há alguma rapidez no desenvolvimento das operações visando concretizar a evacuação de pessoas. Morais avançou que o Governo está a acompanhar a situação e que todas as medidas já foram tomadas e que está a caminho do Fogo uma equipa de protecção cível.

Mas no terreno a população sente-se abandonada porque diz que as autoridades desde ontem tinham conhecimento da situação e só hoje tomaram algumas medidas.

JMN: “se a situação piorar podemos pedir ajuda internacional”
O primeiro –ministro disse a pouco a RCV que a “ situação no terreno está sob controlo “ e que todas a medidas foram tomadas. O PM revelou que desde ontem  a noite que o Governo segue a situação e foram tomadas as  medidas adequadas”. Para isso vai ser enviado uma barco e um avião com meios humanos e materiais para apoiar a população e  ajudar na evacuação.

O PM informou que o via ser feita uma declaração  de contingência  e que se houver necessidade o Governo emitirá um pedido de ajuda internacional . Admite que a situação está a evoluir negativamente e que a erupção é considerada igual a de 1951 , por isso a “ prioridade é evacuar a população de Chã das caldeiras “.

Houve aumento de intensidade eruptiva: Alerta sobe para nível 5
A repórter da RCV no terreno acaba de anunciar que houve um aumento da intensidade da erupção e as pessoas estão a abandonar centro Chã das  das Caldeiras.

Existe o receio que se abra um novo foco à norte como está previsto pelos geólogos o que poderia isolar a população de Chã de Caldeiras . A cidade de São Felipe  já começa a sentir os feitos da erupção  , pois o cheiro de enxofre e restos de areias já atingiram a cidade. Um comunicado do MAI  emite declaração de contingência onde considera que a erupção é de nível 5

Bruno Faria  engenheiro geofísico , do Instituto nacional de Meteorologia , que monitorizou as actividades sísmicas no vulcão do Fogo  defende , em entrevista a RCV que  “ toda a costa leste da Ilha do Fogo deve ser evacuada  e estar de prevenção “,pois o fenómeno eruptivo é igual ao de 1951 que começou no lado sul e propagou-se para norte .

Erupção do vulcão do Fogo: EUA disponível para ajudar Cabo Verde
A embaixadora  dos EUA disse a RCV  que o seus  disponível para ajudar Cabo Verde  na situação criada pela erupção do vulcão do Fogo.

Adrienne O’Neal  diz que por enquanto os EUA estão monitorando a situação no terreno  em contacto com os cidadãos  americanos que vivem na ilha do  no Fogo . Mas assim que tiverem um pedido de ajuda por parte do governo de Cabo verde  irão agir em conformidade . Mas o  governo , ainda não emitiu  nenhum pedido de ajuda internacional.

Embora o primeiro –ministro tenha dito hoje de manhã  que “caso haja necessidade não  hesitaremos em pedir ajuda internacional”.

Erupção do vulcão do Fogo: A diáspora está preocupada
O vulcão do fogo que entrou em erupção esta manhã de domingo, aflige os cabo-verdianos espalhados pelo mundo, O medo encontra-se ainda reforçado pelo facto de esta actividade ser considerada mais grave do que a de 1995.

A população cabo-verdiana encontra-se agarrada a todos os meios de informação para obtenção de notícias sobre a actividade do vulcão do fogo.

Francisca Gonçalves natural da ilha do fogo, porem residente nos EUA (Boston) conta que encontra-se bastante receosa e inquieta com as informações sobre a erupção que chegam até ela.

“Saí de Cabo-Verde quatro anos antes da última erupção em 1995, diziam que aquela era mais leve do que a de 1951”. Agora mais uma vez longe da sua ilha vê o acontecimento a repetir-se. “ Encontro-me bastante triste e temo mais uma vez pela minha população e pela ilha…”

“Não estava nada à espera desta erupção” “Nem parece que isto está mesmo a acontecer em Cabo-verde” lamentam estudantes cabo-verdianos em Lisboa.

Dos muitos contactados revelam que não estavam a espera desta erupção, mas que ajudarão no que for preciso caso for necessário auxiliar a população de Chã de Caldeiras e arredores.

Mota Gomes diz que era previsível nova erupção
Em declarações a RCV Mota Gomes  o  vulcanólogo que coordenou as operações durante a última erupção, em 1995, diz que o vulcão dava sinais há algum tempo de que se aproximava nova erupção.Adiantou que era previsível uma nova erupção. Este especialista, que tem acompanhado a atividade vulcânica desde 1995, não indicou, porém, porque não alertou as autoridades competentes.

Mota Gomes, o “decano” dos especialistas cabo-verdianos em vulcanologia, adiantou que a atividade vulcânica das últimas semanas dava indicações de que “mais tarde ou mais cedo” seria possível uma erupção, embora este tipo de fenómenos seja sempre imprevisível.

A última erupção do vulcão na ilha do Fogo ocorreu a 02 de Abril de 1995, e teve a duração de um mês, destruindo centenas de casas e de culturas, mas sem provocar vítimas mortais.

Fonte do Serviço Nacional de Proteção Civil (SNPC) cabo-verdiano indicou que a boca do vulcão “é afinal só uma”, de onde a lava está a deslocar-se de forma “lenta” aparentemente pela zona sul da ilha.

Aumento da erupção: A lava está a correr a uma a velocidade superior a 1995

O correspondente da RCV, nos Mosteiros, ilha do Fogo informou as 19h 20 no jornal da noite, da estação pública que mediante o que lhe foi dado observar “ na parte da tarde houve um aumento da intensidade da erupção “.

E justifica “ as lavas estão correr a uma velocidade superior a 1995 “. E refere que já não existe passagem pela zona sul, pois o acesso foi tragado pelas lavas. Cerca das 16 horas um geólogo ouvido pela RCV defendia que “ a actividade sísmica estava a diminuir, mas que só nas próximas 24 horas se pode fazer uma avaliação que permitirá saber o rumo que a erupção vai seguir “. Salientou que “ existe uma grande fissura e não existe actividade explosiva “

No terreno continua a evacuação da população de Chã das Caldeiras, agora num ritmo mais acelerado, visto que os jovens que se oponham a saída começaram a sair. As Forças Armadas estão a fazer o transporte das pessoas. Ainda não se sabe quantas pessoas já abandonaram a Chã ou quantas ainda lá estão. Aos Mosteiros de acordo com dados da RCV ,chegaram 106 pessoas entre elas 33 crianças. Não existe nenhuma vítima assinalar e não foi registado nenhum caso de doença nas pessoas vindas de Chã das Caldeiras.

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2018: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.