Gestor do Estádio Nacional mostrou-se «surpreso» com críticas do presidente da FCF

19/11/2014 08:32 - Modificado em 19/11/2014 08:32
| Comentários fechados em Gestor do Estádio Nacional mostrou-se «surpreso» com críticas do presidente da FCF

inaciodecarvalhoO gestor do Estádio Nacional, Inácio de Carvalho, diz ter ficado «surpreso» com a as críticas feitas pelo presidente da Federação Cabo-verdiana de Futebol (FC), que no final do jogo de Cabo Verde com o Níger, acusou a gestão dessa infraestrutura desportiva de estar a funcionar como um «adversário» da seleção, que também paga para jogar no recinto.

Inácio de Carvalho refuta as acusações, que considera «graves», afirmando que a gestão do Estádio Nacional nunca poderia ser adversária dos Tubarões Azuis, nem da comunidade desportiva em geral.

«Custa crer que um dirigente desportivo com responsabilidades do senhor Mário Semedo tenha tido a coragem de dirigir tão graves acusações públicas à gestão do Estádio Nacional», sublinhou.

Sobre a obrigatoriedade de atravessar a via de terra batida, uma outra crítica do presidente da FCF, o gestor do Estádio Nacional garante que «todos fazem o mesmo percurso», lembrando que há ainda obras por concluir e que, por isso, foram criados acessos provisórios, «caminhos onde todos têm de passar».

Sobre o facto de a seleção ser obrigada a pagar para poder jogar no Estádio Nacional, Inácio de Carvalho esclarece que a infraestrutura tem custos fixos e varáveis de manutenção e que o princípio de utilizador/pagador deve funcionar.

Segundo o gestor do estádio, a FCF paga uma quantia «simbólica» para custear as despesas de energia e água, para além de uma percentagem de 5 por cento sobre a venda de bilhetes.

 

abola.pt

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2018: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.