Robô da sonda Rosetta já aterrou em cometa

13/11/2014 10:18 - Modificado em 13/11/2014 10:18
| Comentários fechados em Robô da sonda Rosetta já aterrou em cometa

Sonda Philae terá aterrado em “material macio e pode estar mal ancorada” (19h49)

A Agência Espacial Europeia (ESA) afirmou que a sonda Philae pode ter assentado em material macio e não estar segura à superfície do cometa 67/P Churyumov-Gerasimenko, onde pousou para, durante meses, estudar aquele corpo celeste.
Stephan Ulamec, gestor do Philae, o primeiro engenho espacial da História a pousar na superfície de um cometa, disse haver indícios de não ter havido disparo do arpão que visa prender a sonda ao núcleo do cometa. “Isso poderia significar que estamos assentes em material macio e não estamos seguramente ancorados” na área do cometa, explicou Stephan Ulamec, assinalando que ainda falta perceber onde e como é que “realmente pousou”, questões que deverão ser respondidas dentro de “poucas horas”.

Arpão de âncora do Philae não disparou na aterragem

Perto das 17h00, a conta do Twitter do Philae escreveu que os arpões não dispararam. Estes deveriam ter disparado as âncoras para segurar o Philea na superfície do cometa.

No mesmo ‘tweet’, é dito que a equipa está a tentar determinar qual é o problema.

Philae aterrou no cometa 

A ESA confirmou no seu site, ao vivo, que o Philae já aterrou no cometa 67P/Churyumov-Gerasimenko. A primeira fotografia do Philae no cometa deverá chegar por volta das 18h00 GMT.

Fotografia do cometa 67P, captada a 3km pelo Philea

Logo após a revelação, várias pessoas comentaram o assunto nas redes sociais. A conta do Twitter do Parlamento Europeu publicou um post de a congratular a ESA, aproveitando o post da conta do Philae: “Aterrei! Aqui está o meu novo endereço: 67P! #CometLanding”.

As primeiras fotografias após a separação (16h00)

Eram cerca das 15h00 GMT quando a ESA recebeu as primeiras fotografias da Rosetta e do Philae após se separararem.

A foto que Philae tirou à sonda Rosetta (por cima do clarão) pouco depois de se separarem

Rosetta fotografa Philae no início da sua descida de sete horas até à superfície do cometa

Manobra de separação realizou-se “com êxito” (11h09)

A partir do centro de controlo de operações da ESA na cidade alemã de Darmstadt, o diretor de voo da Rosetta, Andrea Acommazzo, disse que a manobra de separação se realizou “com êxito” e que o robot Philae vai a caminho do cometa, no qual deverá aterrar cerca de sete horas depois do lançamento.

A ESA voltará a receber um sinal do Philae às 9h03 GMT (mesma hora em Lisboa), indicando que o módulo continua o seu percurso. Devido aos atrasos na transmissão dos sinais de rádio, a ESA explica que a separação no espaço ocorreu às 8h35.

Se sobreviver, o Philae irá medir o campo magnético do cometa e realizar testes, até 30 centímetros de profundidade, dos materiais da superfície do núcleo na fase de atividade máxima, enquanto se aproxima do Sol.

Um dia que vai ficar na história espacial

O dia de hoje vai entrar para a história da exploração espacial com uma operação arriscada e inédita: a sonda Rosetta vai deixar o robô Philae, que transporta há 10 anos, aterrar no cometa 67P/Churyumov-Gerasimenko, que orbita entre o planeta Terra e Júpiter. Os dois aparelhos começaram a separar-se às 8h03 (hora de Lisboa) desta terça-feira e espera-se que a operação termine às 16h02 de hoje.

O objetivo desta operação é recolher amostras do cometa 67P/Churyumov-Gerasimenko para analisar pormenorizadamente o desenvolvimento da Terra e restantes planetas do Sistema Solar.

Em agosto deste ano, a sonda enviada pela Agência Espacial Europeia em parceria com a NASA já tinha tentado aterrar no cometa, mas sem sucesso. A operação volta hoje a repetir-se a 22,5 quilómetros de distância do 67P/Churyumov-Gerasimenko.

O centro de controlo da missão Rosetta localiza-se em Colónia, na Alemanha, e vai registar todos os pormenores do momento histórico.

 

cm.pt

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2018: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.