Arquivado o processo do desaparecimento dos 8 mil contos da conta da peixeira que ganhou no totoloto

11/11/2014 07:21 - Modificado em 11/11/2014 07:21

arquivado2Foi confirmado o arquivamento do processo da peixeira Maria Ramos, a mulher que ganhou 32 mil contos no Totoloto, em 2006 e que dias depois sofreu um desfalque na sua conta no BCA no valor de 8 mil contos.

 

A peixeira luta há oito anos para reaver o dinheiro que desapareceu da sua conta. O desfalque de 8 mil contos da conta bancária de Maria Ramos arrasta-se desde 2006 e até hoje o mistério continua. Vários processos deram entrada junto das autoridades judiciais como forma de resolver o assunto. Mas ainda as autoridades não conseguiram descobrir o paradeiro dos 8 mil contos e o processo foi arquivado.

Volvidos oitos anos sem o assunto ter sido resolvido, Maria Ramos diz ter recebido uma notificação a informar do arquivamento do processo. A mesma confessa que foi uma surpresa porque acreditava que o processo estava ganho tendo em conta o advogado que acompanhou o andamento da situação. A queixosa diz não compreender as razões que levaram o advogado a desistir do caso. Muito determinada, Maria Ramos diz fazer de tudo para ganhar o processo que foi arquivado. E faz questão de dizer que a justiça em Cabo Verde não funciona e que vem sendo injustiçada por causa do seu dinheiro. Um advogado que esteve ligado ao processo  disse ao NN que “ A investigação da PJ não consegui chegar a quem fez o levantamento dos oito mil contos. Ficou-se a saber que o dinheiro foi levantado em duas tranches de 4 mil contos  em duas agências do BCA “. Conforme este online noticiou na altura a PJ suspeitou do filho de Maria ,  mais tarde conseguiu provas através de testes de caligrafia realizados no exterior que não foi o filho de Maria Ramos que assinou o cheque. Na altura  as autoridades judiciais seguiram  várias pistas e   concluíram  que o cheque pode ter sido roubado da casa da titular da conta e que depois imitaram a assinatura do filho. Isto, porque Maria Ramos não sabe escrever e assinatura autorizada era apenas a do filho. O exame grafotécnico que a PJ mandou realizar, na assinatura do cheque , mostrou que a assinatura do filho de Maria foi falsificada. Mas um coisa é certa : não foi a dona Maria que levantou o dinheiro da sua conta. Alguém falsificou a assinatura do filho para movimentar a conta. Alguém levantou oito mil contos da sua conta. Não se sabe se o BCA cumpriu com todos os procedimentos que devem suportar o levantamento de quantias elevadas. A vendedora de peixe, até ao momento, é vítima: roubaram-lhe oito mil contos da sua conta no BCA e ninguém foi responsabilizado .

Ainda depois do arquivamento, a queixosa mostra-se esperançosa em reaver o seu dinheiro. Neste momento, Maria encontra-se debilitada por causa do stress que viveu mas garante que não irá desistir de reaver os oito mil contos subtraídos da sua conta.

Maria Ramos afirma que a justiça foi injusta para com ela, porque faltavam 125 dias para o arquivamento do processo, enviaram-no para a PJ e daí, ninguém mais soube do paradeiro do mesmo. O filho foi injuriado e acusado de ter levantado a quantia e nunca fizeram a devida justiça.

A vítima entristecida acredita que seria melhor não ter ganho o dinheiro e afirma que as suas condições de vida e de saúde estariam melhor. Com o andamento do processo, a mesma diz ter vivido momentos difíceis mas que, neste momento, a única esperança é que um dia o seu dinheiro volte a cair nas suas mãos.

Recorda-se que Maria Ramos recebeu cartas anónimas denunciandoas pessoas que levantaram o dinheiro e que entregou à Polícia Judiciária para investigação. Um suposto indivíduo terá levantado uma quantia da conta de Maria Ramos, através de um cheque com assinatura falsa do filho da peixeira.

Maria Ramos foi condenada a cinco meses de prisão, acusada de crimes de injúria e difamação contra o caixa do BCA, Bernardino Lopes que tinha sido responsabilizado pelo desfalque dos 8 mil contos. Porém, a pena foi suspensa por um período de dois anos e dois meses.

O NN sabe que Maria está a providenciar diligências junto de um outro advogado para fazer andar novamente o processo que permanece arquivado.

 

 

 

  1. Aderito Ben-David

    Ha uma so questao que me vem a cabeça : como e possivel levantar 4.000 contos, sem apresentaçao de um documento de identificaçao, com fotografia ? Ou sera que roubaram tambem o BI o Passaporte do filho dela ??? Parece me que os Bancos em Cabo Verde, ja tem cameras de filmar ? Nao houve pela parte das autoridades, una exploraçao dessas cameras ? Coitada dessa sra. (resalvo a ideia de que este articulo esteja completo e insente)…

  2. Catarina VitoMoreira

    kredu. Tantu kuza ki konteci e está ta konteci ainda na BCA. Casos Santa Catarina, Santa Cruz, Praia, Porto Novo, Socenti ê pá tudo ladu ki BCA stá nha guenti!! Pamodi ká tá mudadu kis guentis responsáveis?? Ainda ku mesmos gerentis e diretores. Caso di Porto Novo pexi mas grandi, pamodi kontinua kel diretora di region norti Srª Gilda? BCA mesti muda. Paxenxa kantu temp ku mesmos guentis na frenti e dia sim dia não tá parci notícias di desfalco di dinhêru.

  3. Djose

    Granda chatice! Dinhero é só chatice! nem tudo se consegue descobrir! mesmo que a gente divinhasse, talves isto não era possível.

  4. edupires

    BCA,e uma agencia financeira,de robalheira!!

  5. meca

    O BCA devia ser responsabilizado e condenado a entregar 8 mil contos a maria. Pois o NN pode apurar de um facto semelhante que aconteceu com a falecida cantora Cesaria Evora em que sumiu 6 mil contos da sua conta, mas o banco repos o dinheiro. Porque |e o Banco repos o dinheiro…. Facil de responder… Pois Cesaria alem de analfabeta, tinha grandes amigos, e iriam conseguir grandes advogados. O Bca e uma saguessuga de dinheiro,isso sim. lamento a situacao e dou todo o apoio a Dona Maria

  6. Cliente BCA

    Enquanto cliente do BCA, o desfecho deste caso deixa-me muito apreendido, diria mesmo, estupefacto, na medida em que o Banco, enquanto responsável por esse valor, deveria assumir todas as responsabilidades, e depois, pela via judicial, tentar encontrar os responsáveis. Para além de falhas de segurança (no levantamento de cheques), esta postura do BCA denota irresponsabilidade, um caso que deveria ter a intervenção do BCV. Mas como tudo nesta terra, a senhora em questão não é ninguém (trata-se de uma mera peixeira), e portanto, cidadã de segunda, e logo, merece todo o descaso das autoridades. Viva Cabo Verde!

  7. Alex

    No BCA Ag. Rua Lisboa, está com uma Quadrilha e tanto! Com câmaras, contorlo de assinaturas, identificação, não se sabe quem levantou os referidos montantes? Então aonde está a garantia de se colocar dinheiro honesto e suado com muito tbr ao longo de vários anos? Eu não confiaria. BCA deveria averiguar internamente a capacidade, o sigilo e a competência dos supostos Chefes de secção (Simpliccccc). A quem que com um salário não tanto avultuado seja Dono de vários imoveis e mais… Oi viv n melon

  8. Joao D

    Mais uma vez (para não variar) a justiça em CV no seu melhor. òh advogado é preciso saber quem fez o levantamento para se responsabilizar BCA? Que não teve os cuidados devidos?? Ainda por cima quando ficou provado que não terá sido a legitima proprietário do dinheiro. Pode nao encontrar o autor do crime, mas no âmbito civil prosseguia contra o BCA, e arquivava-se parcialmente(só quanto ao suposto crime)..òh justiça do CV…9º mundo.

  9. Silvino Silva

    Quando vou ao BCA pedir o saldo da minha conta, digo o nome e o nº da conta. Mas o BCA exige um documento de identificação com foto. Caso contrário não tenho o saldo da minha conta. Agora, vai um fulano com um cheque de 4.000 contos e levanta o dinheiro, sem identificação ? Sei que em todos os bancos do Mundo para se levantar cerca de 38.000 euros ou 42.000 dólares, é sempre preciso identificação. O BCA sabe o que aconteceu. Quem quer proteger quem ?

  10. cidadao

    ka so bca teni kex caixa economika etc ek ta fika ta korre mon na dinheru di genti ,ate bakatela ex ta roba a dia kex panhaba es am kre odja sex kara di pupu

  11. Manuel Centeio

    É uma vergonha a nossa justiça. Num País livre e Democrático como nosso é pena ter uma justiça que funciona tão mal. Aí está o caso da insegurança e alta criminalidade, às vezes a um que faz a sua escolha de viver em paz e tranquilidade, depois de anos de sacrifícios, até corre o risco de fazer a justiça com a sua própria mão, por causo do desespero! Que o Governo seja de uma vez para sempre o promotor da justiça, da paz e tranquilidade no seio deste povo que tanto anseia. Paz e bem!

  12. Alexeixo

    Tudo bem. Dinheiro dos clientes vai desaparecendo, apanhado ou não os ladrões e o BCA continua com os mesmos responsáveis das Agências e serviços. A senhora Catarina VitoMoreira, na mensagem acima tem toda a razão. Ela disse que a srª Gilda directora deveria ser mudada de função e responsabilizada também. Onde estão as auditorias do BCA?? E no caso Porto Novo com o tal gerente Alcindo (roubar 139 mil cts. dos clientes), isso já é pura razão para a srª Gilda e outros que foram promovidos serem afastados das suas funções com tantos roubos provados que acontecem no BCA e com os mesmos responsáveis.

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2018: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.