Moradores vivem com medo dos gatunos

20/07/2012 02:28 - Modificado em 20/07/2012 02:28

Os moradores de Fonte Francês vivem aterrorizados com os assaltos as suas residências. A delinquência juvenil e o caçubody que invadiram a zona e mudaram a rotina dos residentes que foram obrigados a refugiarem-se nas suas casas, com medo dos gatunos. A maioria optou por transformar as suas residências em prisões, ao gradear as portas e janelas. Mas há quem receie o regresso dos larápios, por isso não abandona o seu lar e a noite não dorme, porque qualquer barulho é sinal de alarme.

 

Mirandolina Santos reside há sete anos na zona de Fonte Francês, local que outrora era caracterizado pela tranquilidade. Esta moradora diz que a paz que rodeava o bairro foi levada pela criminalidade que se instalou em Fonte Francês. Isto, porque a delinquência juvenil e os assaltos contra pessoas e residências, actualmente ,fazem parte da rotina dos moradores que vivem agoniados com a situação.

O NN sabe que os ataques as residências são habituais, sendo que a último assalto sucedeu no domingo, 15, por volta das 18 horas. A vítima, Carla Lopes foi para a zona de Ribeira de Craquinha e na sua ausência dois indivíduos arrombaram a porta principal e levaram vários objectos. A moradora viu-se obrigada a abandonar a residência, porque receou um novo ataque. Mas as outras vítimas que não abandonaram o seu lar optaram por gradear todos os acessos ao interior.

 

Ataque

Por seu lado, Mirandolina afirma que o ataque a sua casa aconteceu no dia das crianças, quando saiu com as filhas para dar um passeio. Por volta das 17 horas, ela recebeu uma chamada telefónica a informar que estavam a arrombar a porta da sua residência. Santos comunicou a ocorrência a Polícia Nacional, que encontrou os sinais de arrombamento. Por sua vez, os agentes policiais revistaram a residência, mas não encontraram qualquer suspeito no seu interior.

A moradora acrescenta que “os suspeitos arrebentaram algumas almofadas da porta com pontapés, enquanto arrombavam a fechadura com um ferro. Porém não conseguiram entrar no interior porque a fechadura encravou-se.

 

Medidas de segurança

A porta da residência de Santos permanece com alguns sinais deixados pelos gatunos. Mirandolina assegura que tornou-se uma prisioneira, em sua própria casa “sinto-me aprisionada porque o perigo rodeia esta zona, mas o certo é que não irei colocar grades, porque assim estaria a viver numa autêntica cadeia. Para garantir a minha segurança bloqueei a porta principal com três fechaduras e não saio de casa, sem que outra pessoa permaneça nela. E a noite faço de guarda-nocturno, porque quando ouço qualquer ruído levanto-me para passar uma revista a residência”.

O NN esteve a conversa com alguns proprietários de outras casas assaltadas e estes revelaram que o recurso a grades de ferro foi para garantir a sua segurança. Isto porque o pânico rodeia os moradores que receiam abandonar o seu lar, para que este não seja atacado. Por outro lado, as vítimas partilham da preocupação de Mirandolina Santos, é que a Polícia Nacional não tem recebido as queixas dos cidadãos, que desconhecem os autores do assalto. E como solução foram informados que devem escrever uma carta ao comandante da PN a explicar-lhe das ocorrências em Fonte Francês.

  1. Dje Guebara

    Para que as pesoas tenham tranquilidad,deveriam de contractar francos atiradores para proteger-se e tambèm matar essos delincuentes lixos das sociedades.

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2017: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.