Soa o alarme devido ao mau ano agrícola

7/11/2014 07:06 - Modificado em 7/11/2014 07:06
| Comentários fechados em Soa o alarme devido ao mau ano agrícola

Boavista hojeNa  ilha da Boa Vista soa o alarme devido ao mau ano agrícola.  A Câmara Municipal   submeteu ao Ministério do Desenvolvimento Rural (MDR) um programa de emergência em que a edilidade boavistense solicita um montante de 25 mil contos. O vereador Xisto Baptista assegura que o montante servirá não só para aliviar o mau ano agrícola, como também para criar novos postos de trabalho, pois o programa de emergência abrange a conclusão do Centro Agro-Pecuário e Turístico e o calcetamento das ruas ajudando assim os agricultores e criadores de gado da Boa Vista a driblarem o impacte da seca.

 

O programa de emergência da ilha das Dunas submetido ao Governo, para além de minimizar as consequências da falta de chuva, também abrange a conclusão de projectos que irão criar postos de trabalho minimizando o impacte da seca e ajudar os agricultores e criadores de gado. Assim, o montante de 25 mil contos solicitado no programa de emergência permitirá a conclusão do Centro Agro-Pecuário e Turístico e a requalificação urbana, isto porque, neste programa de emergência, está abrangido o calcetamento das ruas. Desta forma, os projectos por concluir na ilha das Dunas agradecem o mau ano agrícola e os agricultores e criadores de gado irão ter trabalho alternativo combatendo assim a falta de chuva que não dá trabalho.

Apesar das medidas tomadas pela edilidade da Boa Vista face ao mau ano agrícola que passou de presságio à realidade, os agricultores confirmam as dificuldades devido à falta de chuva. Os agricultores boavistenses entrevistados pela RCV dizem que não há pasto, ou seja, não há comida para os animais e revelam que “estamos muito preocupados com o mau ano agrícola e até os animais como as cabras têm largado os cabritos à procura de comida”. Neste sentido, o Delegado local do MDR garante que a ilha das Dunas está abrangida pelo Plano Nacional de Mitigação da Seca. Todavia, a edilidade boavistense solicita um montante de 25 mil contos que servirá para aliviar o mau ano agrícola e ajudar os agricultores e criadores de gado da Boa Vista a reorganizarem as suas actividades. O vereador Xisto Baptista acrescenta que “no meu entender, o Governo deverá acatar o nosso programa de emergência e, juntamente com a Câmara Municipal da Boa Vista, fintar as consequências que advirão do mau ano agrícola”.

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2018: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.