Extracção de Inertes: Camionistas protestam contra as medidas da MDR e exigem soluções urgentes

7/11/2014 06:52 - Modificado em 7/11/2014 06:52

COOKIE2Nos dias 5 e 6, os camionistas e extractores do Mindelo estiveram em protesto contra as medidas de proibição da apanha da areia e da jorra e manifestaram-se contra a detenção de um dos camionistas surpreendido na apanha da areia depois da proibição.

 

Cerca de trinta camionistas deslocaram-se à cidade do Mindelo para protestarem contra a proibição da apanha da areia e indignados com a detenção de um camionista que se limitou a transgredir a medida da proibição. Os camionistas não estão contentes com a medida e exigem que a situação seja resolvida com urgência visto que o sustento dos seus filhos depende da actividade de extracção.

Depois da passeata com buzina na cidade, os camionistas dirigiram-se à delegação da MDR em São Vicente para exigirem a resolução do problema que condicionou todo o sector da construção civil e o próprio sustento, pois ficaram sem outras opções de sobrevivência.

Manuel Fortes, camionista há 13 anos, adianta que a proibição da extracção da areia deveria estar resolvida há três meses e até agora nada foi feito. Para o camionista, a proibição da extracção da areia sem outras alternativas, deixou a ilha de São Vicente paralisada em termos da construção civil e as consequências recaem sobre os pequenos extractores.

O mesmo diz ter-se reunido várias vezes com a delegada do Ministério do Desenvolvimento Rural, Ambiente e Pesca, mas que a conversa é sempre a mesma na tentativa de enrolar os camionistas e de não apresentar soluções enquanto que as responsabilidades e as despesas com os filhos continuam a aumentar.

Para Lenine Lopes, camionista, a extracção da areia e da jorra é uma actividade que movimenta muito a economia na ilha e, com a paralisação do sector, os camionistas, as empresas de construção civil, os pedreiros, os autotanques e outras figuras ligadas a essa actividade estão bloqueados e sem qualquer alternativa por parte das autoridades.

Lopes considera que a ilha de São Vicente sem a areia é como a ilha sem água, onde as pessoas ficam desesperadas à procura do produto. Os camionistas mostram-se incrédulos na resolução do problema.

A delegada diz entender a preocupação dos camionistas, mas está a cumprir o despacho do Ministro e que enquanto não houver a legalização podem correr riscos. A mesma explica que a extracção de inertes é uma actividade económica como qualquer outra, pelo que não pode ser exercida de forma ilegal. “A actividade de extracção está proibida desde o dia 1 de Novembro e até as condições de legalização da extracção da areia estiverem reunidas” afirma Janaina Almeida.

A mesma avança que os camionistas e os pequenos extractores estavam satisfeitos porque foi defendida uma determinada solução em parceria com as empresas e que o trabalho de extracção estava a ser feito de forma segura, mas os pequenos extractores não estão a cumprir com os despachos e acabaram por vandalizar o acesso bloqueado pela MDR.

Embora a delegada garanta estar a trabalhar para que o problema se resolva o mais rapidamente possível, a mesma diz não conseguir avançar uma data precisa para o início das actividades.

  1. rural xitiado

    Esse governo quer tirar o sustento dos mais necessitados, ja não basta quererem tirar as vendedeiras os seus respectivos “balaios”, agora é os inertes. Sinceramente. Enquanto umas pessoas do estado ganham fortunas so por levantar o dedo na assembleia, ou estar sentados numa cadeira com rodas figindo trabalhar, aqueles que batalham para os sustento da família são penalizados. Em que vamos parar minha gente.

  2. Djê Guebara

    Façam igualmente o que passam em Mexico que cuando um administrador proibe com uma lei que pode afectar o sustento da familia, eles os povos afectados lhes lincham com palizas as vezes atè com à morte. Essos manda mais tem seus salarios vivem bem os filhos não passam necesidades como os filhos dos jornaleiros que dependem do sustento de dia-a-dia não interessam de nada. Pau com esses malditos.

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2018: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.