Cliente burlada por funcionário da Caixa Económica passa por necessidades enquanto o burlão passeia pelo Mindelo

3/11/2014 00:09 - Modificado em 3/11/2014 00:29

Sem-DinheiroA cliente da Caixa Económica que foi burlada por um funcionário do mesmo banco diz-se indignada com a justiça do país, pois aguarda há mais de nove meses pelo desfecho do processo, enquanto que o burlão passeia tranquilamente pelas ruas.

 

A cliente que ficou sem 1700 contos que foram retirados da sua conta por um “amigo” que trabalhava como caixa na Agência do Monte Sossego da Caixa Económica, está indignada com a morosidade da justiça. O caso foi entregue ao Tribunal da Comarca de São Vicente desde o passado mês de Fevereiro deste ano mas, até agora, não obteve qualquer decisão do Tribunal.

A lesada, que continua a pedir o anonimato, diz que está desesperada para reaver o seu dinheiro, porque tem filhos menores sob a sua responsabilidade que estão a estudar em universidades fora do país e não consegue arcar com as despesas. Isto porque o seu salário não lhe permite, visto que ganha o salário mínimo. O dinheiro que lhe foi roubado era para essas despesas, pois obteve o dinheiro através de uma indemnização do esposo já falecido. Tinha guardado o dinheiro na Caixa Económica para custear os estudos universitários da filha e desenrascar-se com os outros filhos. Aflita e sem saber o que fazer, procurou o “amigo caixa”, mas recebeu como resposta “não tenho nada a dizer, porque estou a aguardar pelo processo”.

A lesada diz que não sabe onde recorrer para resolver o problema e exige que justiça seja feita o quanto antes, pois “ele continua a passear por São Vicente e eu sofro sem poder arcar com as minhas responsabilidades”. Mas a preocupação é maior porque, por um lado, receia que não vai conseguir reaver o dinheiro uma vez que agora o indivíduo ficou desempregado, por outro, receia que quando a justiça chegar pode ser tarde para ela para e para os filhos que podem abandonar os estudos superiores.

Recorda-se que o funcionário da CECV que foi suspenso das funções e que começou a mexer na conta da “amiga” com a autorização desta que lhe deu permissão para “retirar 250 contos da sua conta”. Só que o referido indivíduo falsificou a assinatura da cliente e sacou mais 500 contos alegando que era para emprestar a um amigo que ia para tratamento fora do país e continuou a fazer saques da “conta amiga” até atingir a soma de 1700 contos.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

  1. DESILUDIDA

    Tremenda desilusão em todos os aspetos. O povinho perdeu a voz e a defesa. Procure o Provedor de Justiça na Praia e não deve baixar os braços porque a justiça não se vai pronunciar nem daqui a 10 anos. . Até ao julgamento esse ladrão deve ser obrigado a vender o que tiver, mesmo suas calças e devolver-lhe o que é seu. Mas pode crer que se a vida existe para alem da morte, esse tipo jamais tera paz na sua vida e pagara em vida, com doenças e afins e não tera um minuto de tranquilidade.z .

  2. Spencer

    Porque não divulgar o nome do Burlão na praça pública,quanto mais não seja,para ter vergonha na cara por abuso de confiança, para as pessoas de S.Vicente saberem quem é!!!!!Digam o nome do burlão!!!!

  3. directa

    Amilton Jorge Costa Da Luz funçionario da caixa economica que roubou a funçionaria publica

  4. directa

    Amilton Jorge Costa Da Luz foi o responsavel pelo roubo na conta da funçionaria publica

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2018: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.