Nunca esqueceu que foi obrigada a engolir duas moedas

9/04/2012 01:21 - Modificado em 9/04/2012 01:23
| Comentários fechados em Nunca esqueceu que foi obrigada a engolir duas moedas

Karina Spencer 25 anos foi vítima de um caçubodi que deixou-a com um trauma para sempre. Tinha, então, 23 anos quando por volta das 17 horas foi surpreendida por um homem e uma mulher. Spencer não trazia objectos de valor consigo, por isso os dois caçubodistas obrigaram-na a engolir duas moedas de dez escudos que tinha nas mãos. Em consequência dessa violência, Karina teve que tomar remédios para conseguir expelir pelas fezes as moedas. Mas o trauma ficou para sempre.

O NN continua a descida ao inferno das vítimas de violência na cidade do Mindelo. Karina Spencer tinha 23 anos quando foi obrigada a engolir duas moedas por dois caçubodistas. Segundo Spencer “ tudo aconteceu no dia 10 de Dezembro 2010 por volta das 17 horas a caminho da casa de um amigo. Ia buscar um pen-drive e fui surpreendida por um homem e uma mulher”.

Mas Karina retrocede no tempo para explicar em que circunstância sucedeu o ataque. A jovem, moradora na Rua do Restaurante Sodade explica que foi com uma amiga comprar chocolates no Sport Café. Spencer saiu da loja com duas moedas de dez escudos na mão e na companhia da amiga rumaram a casa desta.

Porém o pior estava por vir quando Karina abandonou a casa da colega para ir buscar um pen-drive. A jovem andou nas traseiras do SportCafé e foi nessa área os dois caçubodistas a iludiram. Pois, por se tratar de um homem e uma mulher, a vítima deixou de lado qualquer hipótese de caçubodi.

Spencer suspende a respiração e lembra “ mas, na verdade as aparências traíram-me, porque eles vieram ter comigo. Revistaram-me à procura de objectos de valor. Porém trazia somente uns óculos de sol e duas moedas de dez escudos nas mãos. Então o homem segurou-me por detrás e a mulher obrigou-me a engolir as moedas”

Não satisfeitos partiram os óculos de sol da vítima que tinham caído no chão. A jovem foi conduzida ao Hospital Batista de Sousa e foram preciso três raios X para localizarem as moedas. Karina teve de tomar remédios para conseguir expelir pelas fezes as moedas. Mas, as consequências podiam ser piores visto que a vítima tem problemas cardíacos e usa um pacemaker.

Trauma

Spencer prossegue a sua narrativa, pois as pessoas têm que conhecer o sofrimento das vítimas de violência na cidade do Mindelo. Têm que saber que não são apenas um número na estatística policial. Mas acima de tudo muita dor e sofrimento E prossegue com o relato “ a forma de agir desses dois indivíduos deixou-me abalada. A situação provocou-me uma crise de depressão, não dormia, chorava e a minha tensão arterial subia sempre que o episódio vinha-me a cabeça. Também passei vários dias sem sair a rua, porque tinha medo de encontrar os dois agressores”.

Karina Spencer escapou da morte por asfixia, mas, as lembranças daquele dia violento ficaram na sua memória. A vítima afirma que a situação preocupou os seus familiares, por isso estes passaram a acompanha-la nas saídas à rua. Por outro lado Karina explica que bebeu um copo de água após a agressão para evitar que as moedas atingissem o pacemaker.

Vida actual

Hoje com 25 anos, Karina sabe que os caçubodistas não têm hora para atacar as pessoas em São Vicente. Assegura que já anda sozinha na rua, mas sempre com um olhar de desconfiança. Já que as lembranças daquele dia violento continuam na sua memória. Por agora pensa em regressar aos estudos e espera um dia reconhecer os dois agressores e entrega-los as autoridades judiciais.

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2017: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.