Escola Técnica: professor vítima de “bullying” por parte de alunos

30/10/2014 07:46 - Modificado em 30/10/2014 10:37


vistalateralO professor Paulo Monteiro da disciplina de Inglês na Escola Técnica, acusado de ter proferido nomes obscenos a uma aluna
, há muito tempo que é vítima de “bullying” por parte dos alunos . Este online apurou que muitos alunos gozam com o professor chamando-lhe por uma alcunha que não gosta de ser chamado e já chegou a ser empurrado das escadas a pontapés por alguns alunos.

 

Segundo declarações de funcionários e colegas de profissão, o professor de Inglês Paulo Monteiro, há muito que vem sendo provocado pelos alunos. Os mesmos relatam que uma vez o professor foi empurrado das escadas da escola por alunos que desciam na mesma direcção. Foi entregue uma reclamação à direcção da Escola para identificar os alunos responsáveis pelo acto.

De acordo com os relatos, os alunos insultam o professor, chamam-lhe nomes e, muitas vezes, faltam-lhe ao respeito. Os  colegas de Paulo  alegam que a situação que aconteceu entre o professor e a aluna foi uma reacção provocada pelos próprios alunos que provocaram  o professor,  chamando-lhe por uma alcunha que ele não gosta de ser chamado. O certo é que o professor “ ficou muito exaltado”. Funcionários da escola garantem que o comportamento de Paulo Monteironunca tinha chegado a esse ponto mesmo quando os alunos o insultavam frequentemente.” Colegas  afirmam que  “conheço o professor, e posso afirmar que trata-se de uma pessoa séria e calma. Os alunos devem ter exagerado de tal modo que levou -lhe a agir nos extremos. Há uns anos atrás o referido professor colocou um aluno na rua e este  deu-lhe um pontapé nas costas quando ele descia as escadas. Sorte que ele teve reflexos e segurou-se  fortemente no corrimão da escada”

O professor é considerado pelos funcionários e colegas como um indivíduo respeitoso e muito calmo, motivo pelo qual os alunos abusam. E por isso existem colegas que apontam o dedo a direcção considerando que “se o professor já tinha feito queixa na direcção porque que a direcção não tomou as medidas. Agora deixam as coisas irem aos extremos para depois lavarem as suas mãos.
o resultado da nossa sociedade é espelho da nossa educação. A educação não vai bem, os professores não tem poder dentro das salas de aulas, o ministério quer indicadores falsos e é assim uma bagunça.”

O professor Paulo Monteiro irá responder a um processo disciplinar por ter proferido nomes obscenos a uma aluna de quinze anos. O professor corre o risco de ser suspenso e até mesmo de ser demitido. Caso o professor seja acusado, poderá incorrer num processo disciplinar que poderá levar à sua suspensão temporária ou mesmo à sua demissão.

O NN ainda não conseguiu confirmar junto da Direcção acerca dos insultos e da agressão física que supostamente o professor terá sofrido por parte dos alunos.

 

 

 

 

 

 

 

  1. atenta s.vicente

    Mim tb mi é mae, mas se kes menino insultá kel professor é obvio que ele tinha k denfendê porque um sabe k menino de escola de tud abusados e abusadas quanto mais se ês othcá um coitado moda Paulo. Paulo é um rapaz sério, humilde, se ele reagi assim é porque jal tava ne se limite. Um k sabe mas es alunos de agora estão incríveis. Até chutá professor, trocá conversa má professor , insultás e mesmo insultá ses colegas kes k é más paród , enfim é triste. Mais tempo ninguém te kre ser professor.

  2. Lucien Malan

    Concordo com a citação – “os alunos são o reflexo da nossa sociedade”. A nossa sociedade de hoje perdeu os valores básicos da educação e do respeito. Eu já fui vitima uma vez dos alunos do liceu Pedro Gomes, que me chamaram nomes. Eu estava com muita pressa, e esfarrapei numa aluna e ela chamou-me nomes desonestos. Quase que lha agredi, tal era a minha raiva. Quando saem das aulas parecem uma manada de gnus africanos em migração.

    Estes alunos andam a levar a violência dos bairros para as escols

  3. Pedro Silva

    Nada mais bizarro; Tanto Crucificar o professor Paulo; Há testemunhos neste sentido, o certo é que ninguém move uma palha para debelar o seu sofrimento e a sua angústia; Resolve, de forma impensada desabafar o seu desgosto, aparece corretivas; Hediondo é preterir um professor que muito faz para cumprir com os seus compromissos sócio laborais ante uma aluna ( perversa) ; Que por sinal deveria ter a hombridade de abandonar esse estabelecimento de ensino, por pura inadaptação social; Ilibam-no .

  4. Maria José

    E assim vai a nossa juventude. Os pais, esses só querem estar numa boa e nao preocupam com a educacao dos seus filhos. É essa juventude que Janira Hofer Almada quer que tome conta de Cabo Verde . Credo em Curz ++++++++++++

  5. José Rodrigues

    Conheço esse professor, pessoa muito educada e de boa integridade moral e, acredito, que se agiu como ouvi na comunicação social e, não só, é porque algo terá ultrapassado o seu domínio de contenção e respeito. É só ver o comportamento dos alunos fora das aulas, já ouvi nomes pronunciados alto e, bom som, por alunos/alunas, que deixam os ouvidos, de quem os ouve, bem entupidos. Alguém neste texto diz que a educação não vai bem e, pergunto, qual delas, a caseira/familiar ou, apenas a educacional?

  6. Abre olhos docente

    ESSE CASO CONFIGURA-SE COMO PONTA DE ICE BERG, DOS DIVERSOS DESAFOROS A QUE ESTÃO SUJEITOS OS PROFESSORES, REFLEXO DE UMA SOCIEDADE MENTIROSA, SUPORTADA SOBRE FALSOS DEPOIMENTOS E ESTATÍSTICAS QUE LHES FAZEM TORNAR MAIS GORDOS AO ESPELHO, DOENÇA ESSA CAUSADA PELO VÍCIO DE PODER, MENTIRAS SUCESSIVAS, FALTA DE VERGONHA E SOBRETUDO DA INCOMPETÊNCIA DE QUEM DE DIREITO. – DEMITA-SE SENHORA MINISTRA, A SENHORA JÁ DEU O QUE TINHA, OU SEJA NADA. FAÇA-O AGORA PORQUE AINDA OS SEUS FILHOS ACREDITAM EM VOS.

  7. marks

    todos sabemos que hoje em dia não há respeito aos professores, sem for calmo conforme os relatos, pior ainda!!!
    certamente o professor foi provocado, saiu do sério(errado, mas foi provocado) e a aluna vem passar de vitima santinha e ofendidinha!!

  8. Juvenal L. Furtado

    Antes mesmo de ler este texto, já tinha cá comigo quase a certeza que a notícia transmitida pela TCV era falsa, pois sou professor, começei a trabalhar aos dezanove anos e desde os 22 anos até a presente data trabalhei massacrado por uma doença chamada artrite reumatóide. Eu sei muito bem o que são as injustiças das instituições educativas, as suas tentativas de iludir os pais e encarregados de educação quanto ao aproveitamento dos seus filhos e educandos e quanto ao seu empenho em relação ….

  9. Verdade_seja_dita

    Bom primeiro de tudo um professor deve ser tolerante coisa que o professor Paulo Monteiro não aparente ser,agora proferir nomes obscenos a aluna ainda vem dizer que é bom profissional pelo amor de Deus…Pra que agir de cabeça quente se o liceu possui uma direcção que poderia punir estes alunos.É lógico que o acto dos alunos é incompreensível,mas também o professor não procurou puni-los.
    Tb ja pararam para pensar na versão da mãe não não é..
    Então não há razão pra estarem aqui a cobertar o prof..

  10. de olhos bem abertos

    Gostaria de saber a versão do Professor MONTEIRO e já agora porque não da ALUNA e também de testemunhas. AGUARDANDO.

  11. sinceramente

    Ó Verdade_seja_dita o Paulo foi tolerante até demais. Pra ti é uma situação normal aluno pontapear professor? è normal alunos insultarem o professor com palavrões tipo, “filho da puta, cona de bo mãe, puta ki pariu´e outros mimos que dizem p’ro Paulo”?????? O Paulo somente usou corretamente o português, o feminino de cão é cadela seja aqui ou na china, leu bem? A aluna insultou o Paulo sim e feio quem vem defender esses alunos que mais são uns talibans de que outra coisa.

  12. Kredo em Cruz…so jesus na causa!

  13. Kung Bronk

    Talvez, tentando colocar-nos no lugar desse professor, saibamos tirar as ilacoes. Ai dum filho meu q nao respeite um professor.Na Escola Salesiana nao acontecem coisas do tipo porque tem uma Direccao q funciona.
    Ja e temp de cada pai t’ma conta de se fidje

  14. Jason Mascarenhas

    A actual realidade do ensino escolar é que os alunos não teem a puro respeito pelos professores e sinceramente encontro duas razões : a primeira, veem da educação dos encarregados de educação; a segunda é do próprio sistema do ensino escolar que deveria ter regras mais severas para os alunos. No meu tempo tais comportamentos dos alunos era indamíssivel, havia um maior respeito para com os professores. Força Paulo Monteiro, estamos contigo. Abraço

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2018: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.