Jovem cabo-verdiano desenvolve sistema de transferência

27/10/2014 07:26 - Modificado em 27/10/2014 07:26

alirio boaventuraA transferência de energia sem fios pode tornar-se numa realidade. Alírio Boaventura é um jovem cabo-verdiano que durante a sua tese de doutoramento desenvolveu na Universidade de Aveiro um sistema de transferência de energia sem fios, com o qual foi distinguido.

 

O jovem Alírio de Jesus Soares Boaventura, é natural da ilha de Santo Antão, Coculi, Ribeira Grande, é licenciado em Engenharia electrónica e telecomunicações, doutorado em electrotécnica – Sistemas de comunicação de rádio pela Universidade de Aveiro e está agora na fase final do doutoramento e faz investigação.

Apresentou na passada sexta-feira aos alunos dos cursos de engenharia electrónica, electrotécnica e telecomunicações da UNICV, uma conferência intitulada: “Wireless power transfer/ Transferência de Energia sem fios”.

Ao longo do seu doutoramento no Instituto de telecomunicações, foi desenvolvendo juntamente com o seu grupo, diferentes trabalhos que vieram a ter boa aceitação científica com a publicação dos mesmos. Em 2011 conseguiu um prémio da ANACOM. Foi distinguido com um trabalho no âmbito das transferências de energia sem fios com o objectivo de aumentar a sua eficiência. Entretanto, teve outras distinções em conferências.

Para Alírio Boaventura, um dos objectivos é recolher e aproveitar a energia ambiente de modo a conseguir obter uma tecnologia de baixo custo, uma vez que ela pode ser implementada em qualquer sítio, mesmo a partir de um telemóvel. Um smartphone que tiver um sistema de transformação de energia poderá ser considerado um sistema de transmissão de energia sem fios. Esta tecnologia está a ser testada em carros eléctricos sem fios na Europa e começa agora a ser, de certa forma, uma imposição por questões ambientais.

Com a invenção de um comando sem pilhas, Alírio Boaventura conseguiu, em 2013, ser distinguido com o prémio de 2º classificado no IEEE, Instituto que rege as actividades na área das engenharias electrotécnicas – electrónico. Este prémio é anualmente atribuído a 10 estudantes das universidades de Portugal.

O jovem que neste momento reside em Aveiro, Portugal, tem vindo a trabalhar no sentido de conseguir implementar o sistema que permite enviar energia eléctrica de um lado para outro sem se recorrer ao uso de cabos eléctricos. Esta inovação tem inúmeras aplicações, sendo uma delas a dos telecomandos, com a possibilidade de descartar as pilhas.

Segundo Alírio Boaventura, feitos os cálculos, esta nova tecnologia trará muitos benefícios. “Existe um grande número de pilhas consumidas anualmente. Daí a opção de tirar partido da nova tecnologia para tentar resolver o problema das pilhas, visto que são tóxicas, pois tornam-se em lixo que deverá posteriormente ser tratado a um custo elevado”.

Com o uso dessa tecnologia mais ecológica, o homem nunca mais irá precisar de trocar de pilhas, o que implicará o desenvolvimento de equipamentos mais baratos.

Este novo sistema também poderá ser aproveitado, no caso do RFID – identificação por rádio frequência – nos supermercados. Seria algo que viria substituir os códigos de barra, pois passaria a haver um circuito e uma antena de forma que seria possível fazer o inventário de um carrinho do supermercado cheio de produtos e obter as informações com maior rapidez.

Questionado se essa nova tecnologia poderá ser implementada em Cabo Verde, o mesmo garante que com o tempo e a aceleração do desenvolvimento do país, será possível sim a sua implementação.

  1. migranha

    Parabems!!!!! O talento esta em cualquier persona . Espero q nao fique so nos jornais , debe ser estimulado
    este estudiante . La juventud es diamante en bruto deben pulirlo y enviarlo a centros mas especializado
    merece !!!!! Forca

  2. Manuel Delgado

    Parabéns e boa continuação…

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2018: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.