Não existem no mercado remédios adequados para doentes de Alzheimer

22/10/2014 07:40 - Modificado em 22/10/2014 07:40

alzheimerEm São Vicente, existem muitas pessoas portadoras de Alzheimer e as famílias ainda não sabem lidar com a doença. Para piorar a  situação  esses doentes não tem tido  atenção por parte do Ministério da Saúde .

 

A doença de Alzheimer  é a forma mais comum de demência. Muitas pessoas, por desconhecimento, associam-na às doenças da velhice, mas com o aumento do tempo de vida das pessoas, a doença começa a manifestar-se muito mais cedo, tornando-se assim numa das maiores preocupações dos familiares e cuidadores.

Não existe cura para a doença que se agrava progressivamente até que, eventualmente, leva à morte. Na verdade, é uma doença onde os doentes passam a depender totalmente do cuidador e a duração do tempo de vida do doente, muitas vezes, depende do cuidador. Neste caso, muitas vezes, os familiares não possuem condições psicológicas nem financeiras para oferecerem aos doentes.

Uma pessoa reportou a este online a sua preocupação em relação a um familiar que há três anos sofre de Alzheimer. O doente apresenta todos os sintomas da doença, mas critica os responsáveis da saúde por não darem a atenção merecida a esta doença que vem assolando o país há alguns anos. “A mesma, afirma que em São Vicente não existe nenhum médico especializado neste tipo de doença e que os medicamentos disponíveis  no mercado cabo-verdiano não são indicados para a doença.

Uma outra preocupação dos familiares e cuidadores é o facto de não haver um centro de acolhimento que ajude os doentes a desenvolverem actividades e evitar que permaneçam sempre em casa.

Sendo uma doença que arca com custos dispendiosos entre a alimentação, a higiene, os medicamentos, os cuidados especiais, os familiares dizem que o INPS apoia apenas com o custo dos medicamentos.

O Alzheimer é uma doença que obriga o familiar ou cuidador a ter muita paciência, disponibilidade de tempo total e muito conhecimento para poder compreender e lidar com o doente. Para os familiares, “muitas pessoas não conhecem a doença e quando aparece, os familiares não estão preparados. No início, a doença é confundida com outras e o doente não é visto como tal, apesar de apresentar sintomas que, no entanto, são desconhecidos pelos mesmos”.

Muito preocupados, os mesmos apelam à intervenção da sociedade e do próprio Ministério da Saúde no sentido de criar melhores condições   para os doente de Alzheimer.

 

 

 

 

 

 

  1. roxana aguilera

    deben repasar esto a la MS e direcion geral de farmacia , Tal vez se esquecieron
    de q existen pacientes con Alzaamer q requieren MEDICACION ! Existe un registro para citar esos pacientes cuando el Neurologo viene a SV ?? Sao muitas gentes con esta enfermedad unos pacientes y otros POLITICOS

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2018: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.