Levantamento de mercadorias: Operadores económicos insatisfeitos com a Alfândega do Mindelo

21/10/2014 07:12 - Modificado em 21/10/2014 07:12

Alfandega do MindeloOs operadores económicos de São Vicente queixam-se do atraso no levantamento das mercadorias provocado pela  da Alfândega do Mindelo.

 

Os operadores económicos de São Vicente mostram-se insatisfeitos com a Alfândega do Mindelo e acusam-na de não conseguir dar vazão às solicitações, ou seja, à impossibilidade da desconsolidação dos contentores com mercadorias.

Em declarações ao NN, Octávio Alves, director da Alfândega do Mindelo afirma que com a chegada dos contentores, estes devem ser desconsolidados nos armazéns da Enapor, mas por uma questão de facilidade, a Alfândega tem permitido que os mesmos sejam desovados no domicílio, ou seja, nos armazéns dos operadores económicos, medida essa que é uma excepção à regra.

Segundo a ordem de serviço número 04/2013, a desconsolidação de contentores de mercadorias objecto de declarações já liquidadas e pagas, poderá ser efectuada nos armazéns do importador ou do destinatário real desde que haja disponibilidade de pessoal aduaneiro.

O director afirma que é uma situação pontual e justifica o sucedido com a chegada de uma grande quantidade de contentores e a Alfândega do Mindelo não dispõe de pessoal suficiente para acompanhar os contentores aos armazéns dos operadores económicos.

O mesmo garante que a Alfândega tem feito o impossível para permitir a saída dos contentores. Neste momento, o staff encontra-se esgotado porque todos os dias mesmo aos fins-de-semana é autorizada a abertura de contentores no domicílio para poder dar vazão aos contentores, por isso, não tendo funcionários suficientes, não é possível autorizar.

É de realçar que nos dias 11 e 16 de Outubro, o Porto recebeu os navios TINGLEV MAERKS e SETUBAL que chegaram carregados de contentores motivo pelo qual a Alfândega não tem conseguido dar vazão.

O responsável  pelos serviços aduaneiros em São Vicente adianta ainda que um dos problemas que tem vindo a afectar o serviço da desconsolidação dos contentores é o facto da Polícia Fiscal ter pouco pessoal  . “Não havendo guarda fiscal, se a Enapor não tem disponibilidade de máquinas, a Alfândega não tem culpa”, pois os contentores devem ser acompanhados por um funcionário aduaneiro, por um agente da guarda fiscal, pelo operador económico e ainda por um agente de navegação das companhias marítimas e o que acontece é que, muitas vezes, a Alfândega do Mindelo nomeia um funcionário aduaneiro e não há guarda fiscal, mas só é permitida a saída dos contentores na presença desses funcionários.

  1. pacienca

    Mais burogracia para acabar de afundar Mindelo cada vez mais. Desculpas e mais desculpas sem nenhuma accao correctiva. Muitos sumarfulos na auto-estrada do desenvolvimento.
    O que e’ essa tal de rotunda? Vivo no pais com a maior rede rodoviaria do planeta…Rotunda um ca conche. amigo Mindelense.

  2. UVID IMPE

    Na cais tudo gente sabe pq Guarda Fiscal ka tem pessoal pa bai abri contentores….pq em vez dexe faze sexe traboi k fiscalização aduaneira sexe comandante ta poxe ê ma pessoal de ordem publica t faze policiamento na salamansa,na carnaval,comicios,operação stop,seguranla na funtinha(pessoal GF t txemal ê +CABO VERDE) enkuanto k la na porta t fka k contentores pa abri pq catem gente…jaxe turtxil oreia la de praia mas ele k t imenda ele viva se PN….

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2018: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.